Vereador propõe título de “Cidadão Botucatuense” ao padre Delair

Na primeira reunião ordinária dos vereadores da 16ª legislatura da Câmara Municipal de Botucatu, ocorrida na noite desta segunda-feira (4), o vereador Fernando Aparecido Carmoni (PSDB) apresentou o Projeto de Decreto Legislativo que concede ao padre Delair Sebastião Cuerva o título de “Cidadão Botucatuense”.

Em sua explanação Carmoni elencou uma série de serviços prestados pelo homenageado. “Não tenho dúvidas de que a proposta desta homenagem será aprovada pela unanimidade dos demais companheiros de plenário, pois estamos falando de uma personalidade que presta serviços relevantes ? comunidade. É bom iniciarmos o mandato homenageando quem merece”, disse Carmoni.

Delair Cuerva é presidente da Associação Sagrada Família (ASFA), uma organização não governamental, fundada no dia 20 de abril de 2006, tendo como finalidade a união dos associados, através de atividades sociais, culturais, recreativas, esportivas, religiosas, com objetivo de propiciar aos assistidos e/ou associados, na medida do possível, melhores condições de vida, especialmente no que concerne aos portadores de aids, ? s pessoas idosas e a pessoas que tenham câncer.

“Delair é um padre carismático e podemos dizer polêmico que tem muitos seguidores e há vários anos exerce um trabalho digno dos maiores elogios junto a ASFA. Só quem conhece o cotidiano dessa entidade sabe do esforço e dedicação do padre e de seus voluntários para levar o projeto adiante”, disse Carmoni.

O parlamentar tucano cita que Delair Cuerva, escolheu Botucatu para viver, ao lado seus familiares e de todos os fiéis que buscam a paz espiritual através de sua vocação sacerdotal e leva o nome de Botucatu em todos os cantos brasileiros apresentando programas na televisão e rádios.

“Ainda presta importantes serviços na Capelania da Unesp, onde visita enfermos e realiza celebrações, sem falar das inúmeras ações sociais e filantrópicas desenvolvidas de forma silenciosa. Por tudo o que fez e faz, o padre Delair merece nosso respeito e a homenagem deste legislativo”, justificou Carmoni.