Vereador pode entrar com Ação Cível contra ex-prefeito

Na tarde desta quarta-feira o vereador Professor Nenê (PSDB) esteve reunido com os assessores jurídicos da Câmara Municipal de Botucatu, os advogados Carlos Eduardo Speltri e Antônio Soares Batista Neto, para preparar uma ação cível contra a administração do ex-prefeito Mário Ielo, em razão de possíveis irregularidades e mal uso de dinheiro público, na ocasião da realização dos Jogos Abertos do Interior, disputados em Botucatu em 2005.

Essa ação é sobre uma grave denúncia que pode envolver diretamente não só o ex-prefeito Mário Ielo, como também o ex-secretário de Esportes Nivaldo Ceará e a secretaria da Fazenda. Nenê tornou o caso público em seu pronunciamento no Grande Expediente da sessão ordinária da Câmara Municipal de Botucatu, da última segunda-feira.

Antes mesmo de o Grande Expediente ter início, ele confidenciou que iria buscar apoio com outros vereadores para abrir uma CEI – Comissão Especial de Inquérito, em razão de irregularidades que teriam sido cometidas na edição dos Jogos Abertos do Interior. Depois, entendeu que antes de qualquer coisa, ele iria discutir o caso com a Assessoria Jurídica da Casa de Leis, o que aconteceu nesta quarta-feira.

Ao invés de entrar com uma ação na Promotoria Pública e buscar assinaturas para uma CEI – Comissão parlamentar de Inquérito, Nenê foi orientado pelos advogados a, antes de qualquer coisa, elaborar um requerimento, pedindo explicações detalhadas ? Prefeitura Municipal para fazer o confronto de dados.

Nenê garante que tem em mãos dados concretos de que durante os jogos houve irregularidades e gastos acima do normal e há muito vem trabalhando para juntar documentos. “Com essa documentação que tenho em mãos, daria para abrir uma CEI para que a Câmara investigue o que de fato aconteceu e as pessoas envolvidas possam dar explicações sobre os gastos, mas vou seguir orientação dada pela Assessoria Jurídica e fazer um requerimento”, ressaltou Nenê.

Na época, prossegue o vereador do PSD, ninguém levantou ou confrontou esses gastos. “Mas, uma documentação que me parece comprometedora chegou a minhas mãos e eu como agente fiscalizador não posso fechar os olhos a esta denúncia e entendo que tudo deve ser investigado. Não estou acusando ninguém, apenas abrindo a possibilidade de que seja explicado como o dinheiro foi gasto. Foi muito dinheiro público investido nos Jogos e isso interessa a todos nós”, colocou o vereador.

Baseado na documentação que tem em mãos, o vereador entende que fortes indícios de irregularidades aconteceram, principalmente com a contratação de uma equipe de atletismo de Presidente Prudente, que recebeu dos cofres públicos R$ 180 mil e usou notas frias para comprovar gastos. A APA – Associação Prudentina de Atletismo passou a ser a APA – Associação Paulista de Atletismo.

“Só que grande parte das notas fiscais eram de Presidente Prudente. A APA estava em Botucatu, mas toda a parte contábil era feita em Presidente Prudente. Tenho até notas fiscais com numeração iguais, mas preenchidas com valores diferentes. Tenho tudo isso em mãos. Essa equipe de Prudente foi transferida para Botucatu e o endereço da sede coincide com a casa do zelador do Estádio Municipal João Roberto Pilan – Inca. Muita coisa está mal explicada. Por isso estamos pedindo explicações”, sacramentou Nenê.

Em tempo: A reportagem do Acontece tentou manter contato com o ex-prefeito Mário Ielo, assim como com o ex-secretário Nivaldo Ceará para que eles se manifestassem sobre as denúncias que estão sendo feitas, publicamente, pelo legislador do PSB, mas eles não foram localizados. Democraticamente, o jornal Acontece está aberto para dar o espaço para que ambos possam se defender das acusações que estão sendo feitas.