Vagas para veículos escolares podem ter maior fiscalização

Foi aprovado um requerimento de autoria do vereador João Elias (PDT), que solicita ao Poder Executivo, a possibilidade de adotar providências para que as vagas exclusivas de veículos de transporte escolar sejam, rigorosamente, usadas somente pelos condutores deste tipo de veículo, e que os mesmos também respeitem os demais condutores, usando somente as vagas destinadas aos veículos escolares para embarque e desembarque.

O parlamentar explica que as vagas exclusivas de veículos de transporte escolar visam regular o embarque e desembarque dos alunos, sem prejudicar o trânsito e estas vagas exclusivas restritas aos veículos de transporte escolar devem ser utilizadas somente pelos veículos cadastrados já que as vagas exclusivas de veículos de transporte escolar têm, prioritariamente, o objetivo de oferecer segurança aos alunos.

“Isso não vem acontecendo em Botucatu. Outros veículos têm estacionado nessas vagas restritas fazendo que os veículos escolares estacionem em locais inapropriados causando transtorno no tráfego de veículos. Há de ter rigor no uso das vagas”, coloca Elias

{n}Cinto de segurança{/n}

Nessa mesma linha o vereador petebista solicita maior fiscalização em todos os veículos escolares do município, a fim de constatar o cumprimento da lei no que tange ao uso correto do cinto de segurança por todos os alunos usuários deste meio de transporte.

“O cinto de segurança é um dispositivo de defesa dos ocupantes de um meio de transporte e que deve ser utilizado obrigatoriamente por todos os ocupantes do veículo e deve-se ter um cuidado especial com as crianças e adolescentes quanto ? segurança, sobretudo quando transportados em veículos escolares, como vans e ônibus”, prega Elias.

O vereador completa seu raciocínio: “Os veículos que transportam alunos, sejam particulares ou da prefeitura, conforme a autorização expedida pela Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), devem dispor de um cinto de segurança para cada aluno e isso deve ser verificado e fiscalizado”.