Requerimento propõe melhoria na acessibilidade

O vereador Luiz Fontes – Fontão (PSDB) focou no bairro do Monte Mor dois dos cinco requerimentos apresentados na Câmara Municipal. Entre os pedidos apresentados pelo vereador, os dois direcionados ao referido bairro dizem respeito à construção de um espaço público para práticas de atividades esportivas e outro por pavimentação asfáltica. Nos outros pedidos o legislador solicitou a criação de um selo para o comércio, uma academia ao ar livre e melhorias nos cruzamentos próximos ao recinto da JVC, esse último em parceria com o vereador João Elias (SDD).

Para o Monte Mor a pavimentação asfáltica solicitada pelo vereador é direcionada a Rua Carolina Alves Bavia, que também, de acordo com Fontão, deveria receber galerias pluviais. Ainda para o bairro citado, o pedido é para a construção de uma área de lazer para a região. “O Monte Mor é um bairro com um elevado número de crianças, que precisa de uma área com quadra poliesportiva, pista de caminhada, pista de skate, cancha de bocha, um palco, entre outras coisas”, comentou. “Com essa área, a comunidade teria um lugar ideal para desenvolver atividades de lazer e esportes, aumentando a qualidade de vida dos moradores do bairro”, explica.

Legislador também apresentou um requerimento onde solicita do Poder Executivo, a construção de uma academia ao ar livre na Vila Assunção. Ainda na região do referido bairro, Fontão apresentou em parceria com o vereador João Elias, uma solicitação para que a concessionária Rodovias do Tietê e a secretaria de Mobilidade Urbana adotem medidas para aumentar a segurança dos motoristas nos cruzamentos da Rodovia João Hipólito Martins com as ruas Emílio Cani e Joaquim Lyra Brandão.

Em outra propositura Fontão reflete sobre acessibilidade. De acordo com o vereador, os cadeirantes ou portadores de alguma deficiência de locomoção sofrem no comércio botucatuense pela falta de acessibilidade. “A maioria dos serviços instalados em nosso município não oferecem aos deficientes, condições satisfatórias de acessibilidade. São mudanças relativamente simples como alargamento de portas e corredores, instalação de provadores para cadeirantes, substituição de degraus por rampas, enfim, uma série se mudanças simples, mas que fariam a diferença”, argumenta.

Pensando em melhoras essa situação, o legislador sugere a criação do selo ‘Comércio Amigo das Pessoas com Deficiência’. “Nossa ideia é que esses estabelecimentos que se adequarem à realidade das necessidades sejam contemplados com esse reconhecimento. São atitudes simples, mas que  fazem a diferença na vida de quem necessita”, encerrou.