PT vai de Érick Facioli como pré-candidato a prefeito

Na noite da última terça-feira, 24 de maio, na sede do Partido do Trabalhadores, o jornalista Érick Facioli foi colocado oficialmente pelo PT como pré-candidato a prefeito de Botucatu. Seu nome já era ventilado há alguns meses como provável representante da sigla. 

Já na manhã desta quarta-feira, 25, Facioli concedeu entrevista à Rádio Clube FM. Ele ratificou sua disposição para as eleições municipais. Facioli é o quinto pré-candidato a prefeito de Botucatu nas eleições de outubro. 

“Eu estou entrando com certo atraso em relação aos demais candidatos, eu sei disso, mas vamos ainda conversar bastante. Nenhum dos mais de 40 filiados que estiveram no diretório se colocaram contrários, o que me animou muito”, disse Facioli ao radialista Ferdinando Lunardi”.

Em 2015 Facioli não concordou com a saída de Mário Ielo do PT, se negando a segui-lo para o PDT. Liderou ao lado de Valdemar Pereira de Pinho e outras figuras de comando um movimento para o partido lançar candidato próprio.

Em sua conta na rede social facebook, o jornalista escreveu sobre a decisão, dizendo que quer uma Botucatu com oportunidades para todos. “Ontem coloquei o meu nome como pré-candidato a prefeito de Botucatu para apreciação do meu partido. Como qualquer ser humano, carrego comigo defeitos e qualidades. Modéstia à parte, não me faltam a coragem e o desejo de ajudar a construir uma cidade com mais oportunidades para todos, indistintamente”, postou.

 

Perfil do pré-candidato

O jornalista Érick Facioli, 42 anos, já passou por praticamente todas as redações e rádios de Botucatu, especialmente na década de 90. Rádios Municipalista, Clube FM, PRF-8, Jornais Diário da Serra e A Cidade foram alguns de seus trabalhos. Nos anos 2000 passou pela Rádio Criativa FM e TV Record. O jornalista também trabalhou em assessorias e lançou livros, o último em abril deste ano, sobre a vida do ex-goleiro João Marcos.

Em 2001 assumiu o cargo de Secretário Municipal de Comunicação, deixando a administração Mário Ielo em 2005 por não concordar com algumas atitudes tomadas pelo então prefeito antes dos Jogos Abertos que foram realizados em Botucatu naquele ano. Apesar da saída, continuou sendo uma voz de apoio ao governo do PT. 

Na política eletiva participou como coordenador de campanha do PT nas eleições municipais de 2004, reeleição de Mário Ielo, em 2008 com Pinho e 2012 novamente com Ielo. A partir de 2009 passou a ser um dos principais opositores do Governo João Cury, direcionando pesadas críticas à gestão tucana.  

 

 

Fotos: Facebook/divulgação