PT perde 25 de seus filiados mais próximos

Agora é oficial. O Partido dos Trabalhadores (PT) perdeu 25 dos seus filiados de uma só vez. O documento da desfiliação foi entregue ao presidente do partido em Botucatu Carlos Cesar Ramos o Carlão, neste final semana. Entre eles, pessoas que ajudaram a fundar o PT e alavancar o partido na Cidade, como Renato Caldas e José Luiz Verpa.

Guardada as devidas proporções, o caminho dos dissidentes do PT de Botucatu pode ser o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), seguindo exemplo de muitos petistas brasileiros que, liderados pela senadora Heloísa Helena não concordarem com as decisões chamadas de “neoliberais” do partido e passaram a votar contra as determinações da legenda. Heloísa e demais militantes foram expulsos do PT em 14 de dezembro de 2003 e fundaram o PSOL.

O “calcanhar de Aquiles” da dissidência petista foi em relação as eleições municipais deste ano que teve o arquiteto Mário Ielo como candidato a prefeito. O próprio Caldas revelou que a eleição foi transformada em um projeto pessoal e o partido segundo ele, teria ficado para segundo plano. A condução da campanha teria sido feita de maneira individualizada e as decisões para traçar as diretrizes não eram tomadas pelo partido, mas sim por um pequeno grupo de pessoas

Um dos dissidentes que ainda não definiu qual será seu caminho político disse ao {n}Acontece {/n}que muitos petistas de “carteirinha”, diferente das eleições anteriores, não tiveram oportunidade de serem ouvidos e participarem da campanha como a Mara Corrêa, Waldemar Pereira de Pinho, Luiz Carlos Rúbio, Osmar de Carvalho Bueno, Renato Caldas, Luiz Francisco Brant, entre outros.

Lamentando a saída dos antigos companheiros o presidente do PT de Botucatu, Carlos Cesar Ramos, o Carlão, garantiu que o partido sempre esteve aberto para qualquer tipo de discussão. “Se algum filiado estiver insatisfeito com alguma norma ou conduta deve nos procurar para que possamos discutir o assunto, internamente. O partido não tem dono e sempre estará aberto ao diálogo com seus filiados e simpatizantes. Não podemos impedir que este ou aquele filiado saia, mas entendo que não pode faltar diálogo”, disse.

Além da derrota para o cargo a prefeito, o PT perdeu representatividade na Câmara Municipal e apenas três vereadores numa coligação formada por sete partidos foram eleitos. A situação do prefeito reeleito, João Cury Neto (PSDB), contará com oito parlamentares e não deverá encontrar dificuldades para aprovar os projetos de lei que sejam de interesse do Executivo.