População quer duas empresas de ônibus, diz vereador

O vereador Professor Nenê (PSB) (foto) defende a existência de duas empresas de transporte coletivo em Botucatu para a próxima licitação, que deve ocorrer ainda neste ano. Para o parlamentar, a cidade está em franco desenvolvimento, o que acarreta em um aumento do número de habitantes e da necessidade de mobilidade dos botucatuenses aos diferentes setores do município.

Ele utiliza como argumento o fato de Botucatu ter crescido cerca de 11 mil habitantes em apenas quatro anos. “Porém, os serviços, incluindo o do transporte coletivo, ainda não chegaram aos locais periféricos como os Distritos de Vitoriana, Rubião Júnior e César Neto, além de outros bairros afastados do centro da cidade”, afirma.

Neste contexto, o vereador ressalta que apenas uma permissionária explorando o transporte coletivo na cidade não seria capaz de dar conta da crescente demanda para os próximos quatro anos.

Nenê não teme possível sucateamento da frota de ônibus das empresas vencedoras da licitação – no caso de existirem duas permissionárias, uma vez que a lei que regulamenta a atividade não permite a existência de veículos com mais de cinco anos. “Além disso, na legislação vigente há um item que atribui ao Executivo poder de requerer revisão dos veículos sempre que julgar necessário”, salienta.

Outro aspecto que impediria o sucateamento da frota é a atuação da Comissão Municipal de Transporte Coletivo (CMTC), que foi transformado em órgão de caráter deliberativo, não mais com apenas consultivo. “Isso significa que a CMTC terá voz ativa e poder para negociar mais efetivamente a qualidade do serviço prestado pelas permissionárias”, argumenta Nenê.

O parlamentar também não acredita que, com a divisão das linhas de ônibus na cidade em dois setores distintos – formato idealizado pelo Executivo para a licitação, as empresas não teriam condições de manterem-se financeiramente em função da divisão dos lucros.

“Nenhuma empresa vai disputar a licitação se não julgar que terá lucro na atividade. Ou seja, não existe relação entre a divisão das linhas do transporte coletivo e prejuízos ? s permissionárias”, coloca. Hoje, a atual empresa de ônibus arrecada anualmente R$ 16 milhões, segundo dados do Departamento de Engenharia de Tráfego (DET).

O parlamentar concorda com o pedido feito pelo vereador Bombeiro Tavares (DEM) ? Faculdade de Tecnologia de Botucatu (Fatec) – solicitando a realização de um estudo de viabilidade de existência de duas empresas de ônibus na Cidade operando simultaneamente e com paridade no número de linhas. “Mas, o mais importante é andar pelas ruas e escutar a opinião da população. Os botucatuenses pedem duas empresas e nós precisamos contemplar a comunidade com esse benefício”, finaliza o Professor Nenê (PSB).

{n}Prefeito João Cury{/n}

A propositura do parlamentar vai de encontro ao desejo do prefeito João Cury Neto, (PSDB) que desde a campanha que o elegeu prefeito, defende a idéia de duas empresas dividirem o transporte coletivo na cidade, para evitar o monopólio.

Não é de hoje que o fato da EAOB – Empresa Auto Ônibus Botucatu, explorar sozinha o transporte coletivo da cidade, gera muita polêmica. Em promessa de campanha o atual prefeito assegurou que iria fazer a licitação para que novas linhas de ônibus fossem colocadas para servir a municipalidade.

“Entendo que Botucatu já comporta duas linhas de ônibus para melhor atender a municipalidade. Esse processo licitatório era para ter sido aberto no ano passado, mas a como a empresa permissionária entrou com uma ação contra a prefeitura no final do mandato da administração passada, o processo acabou tendo que ser adiado”, colocou João Cury.

“Mas assim que essa questão for resolvida pela Justiça iremos dar início ao processo licitatório, permitindo assim que outras empresas do setor possam ter a oportunidade de apresentar suas propostas para explorar o transporte urbano em Botucatu. Não temos nada contra a empresa atual e ela poderá, também, participar do processo e continuar prestando seus serviços em Botucatu, se apresentar a melhor proposta”, conclui o prefeito.

Fotos: Fernando Ribeiro