Parlamentar quer Botucatu gerando energia eólica

Foto: Divulgação

Os avanços em questões que envolvam a sustentabilidade têm ganhado cada vez mais destaque e a geração de energia limpa está entre os pontos mais debatidos. Pensando nisso o vereador Lelo Pagani  (PT) sugere que  Botucatu seja analisada como um polo para geração de energia eólica [vento].

O documento, encaminhado ao deputado estadual, Fernando Cury, pede para que ele atue como um porta-voz no sentido de conseguir uma avaliação do potencial de energia eólica que poderá ser gerada pelos ventos de Botucatu, uma vez a cidade é famosa pelo seu vento constante oriundo da região da Cuesta. O recurso natural poderia se transformar em geração de energia e render dividendos para a cidade e região, além do Estado.

A energia eólica carrega vantagens de custos transparentes de aquisição de turbinas, operação e manutenção, e tem o poder de atração de indústrias e geração de empregos. Com este potencial, ela tem impulsionado o desenvolvimento de diversos segmentos no país nos próximos dez anos, principalmente os setores metal-mecânica, eletroeletrônica e construção civil.

Atualmente, estão sendo investidos US$ 2,3 bilhões de dólares do setor privado para a implantação de centrais eólicas de grande porte no Brasil, que deverão operar até 2018. Com opções econômicas, limpas, seguras e fabricadas localmente.

Para o vereador, os investimentos representariam uma significativa evolução para o município e por isso, o pedido para que Botucatu seja colocada como uma cidade com potencial para geração da energia. “Estamos em uma posição geográfica privilegiada, que recebe destaque justamente por conta dos seus bons ares, então, precisamos dar um primeiro passo para aventarmos qualquer possibilidade de gerarmos energia eólica em Botucatu e esse passo é solicitar uma avaliação do potencial eólico da região, com coletas e análises de dados sobre a velocidade e o regime dos nossos ventos”, explicou Lelo Pagani.