Parlamentar cobra cumprimento de Lei de limpeza de terrenos

O presidente da Câmara Municipal de Botucatu, vereador Reinaldinho (PR) é autor do requerimento nº 1403/2010 que solicita ao Executivo a possibilidade da Prefeitura Municipal formar uma equipe para efetuar a limpeza dos terrenos cujos proprietários não se preocupam em realizar tal serviço.

De acordo com o parlamentar, a questão é bastante complexa e incomoda toda a vizinhança e facilita a proliferação de insetos e animais peçonhentos como ratos, baratas, aranhas e escorpiões. Grande parte dos terrenos sujos é adquirida para exploração imobiliária e os proprietários não se preocupam com a manutenção e limpeza dos mesmos.

“É necessário que o Poder Público faça cumprir o Decreto nº. 7.257/2007, que regulamenta o artigo 67 da Lei nº. 2.482, que permite a execução de serviços de capinação e limpeza de terrenos, determinando que tais serviços sejam cobrados posteriormente dos proprietários, mantendo assim a cidade mais limpa”, sugere o vereador, que aguarda o posicionamento do Executivo.

{n}Incêndios {/n}

Terrenos sujos também afetam o trabalho cotidiano do Corpo de Bombeiros. Isso porque muitos proprietários adicionam um produto conhecido como “mata-mato” que seca a vegetação que fica inflamável e pega fogo com muita facilidade. Uma simples “bituca” de cigarro acesa pode gerar um grande incêndio. Em média, 10 chamadas por dia são computadas para controlar focos de incêndio em algum ponto da cidade, assim como na zona rural.

De acordo com o comandante do sub-grupamento operacional de Botucatu, tenente Edson Winckler Filho, a maioria dos casos são provocados, pelos próprios proprietários que querem se livrar do mato e do entulho ateando fogo no terreno. “Com isso uma viatura que poderia estar atendendo uma ocorrência de socorro ? vítima, muitas vezes está atendendo incêndio”, alerta o comandante.

{n}Cadastramento{/n}

O coordenador da Defesa Civil do Município, Domingos Chavari Neto, já está fazendo um levantamento de terrenos que estão espalhados por diferentes regiões da cidade de Botucatu, transformados em verdadeiros depósitos de lixo por falta de cuidados de seus proprietários.

“Estamos trabalhando para tentar buscar a solução para este problema. Infelizmente, alguns proprietários não zelam pelos seus terrenos e eles acabam gerando problemas para quem mora na vizinhança. Temos conhecimento de que grande parte desses terrenos pertence a pessoas que não residem em Botucatu. Sem os cuidados, os terrenos acabam gerando transtornos para moradores, pois não deixa de ser um problema de Saúde Pública”, frisou Chavari.

Foto: Valéria Cuter