Mário Ielo e Caco Colenci se aproximam de acerto; PSDB tentou trazer Caco de volta para base

ID_22549_caco capaNão é segredo que o ex-prefeito e pré-candidato pelo PDT Mário Ielo está conversando com o ex-Secretário de Governo Caco Colenci. Ao contrário do que muita gente afirma, não foram muitos encontros, sendo que o primeiro deles na semana retrasada teria sido improdutivo. Mas as conversas evoluíram, e bastante, diga-se de passagem.

Em um encontro registrado há duas semanas, no escritório de advocacia da família Colenci, Mário Ielo ouviu as propostas de Caco, hoje no PV. A reportagem do Acontece Botucatu apurou que ele ouviu, mas não teria gostado. Novos encontros ocorreram e o ex-prefeito apresentou uma contra-proposta.

Entre pessoas próximas aos dois, o acerto é iminente. Na verdade, o anuncio só não ocorreu por alguns detalhes que podem ser resolvidos em breve. Caco Colenci, tem receio de falar, já que no passado era o candidato do PSDB, depois se tornou o vice de Mário Pardini e tudo o que era certo foi desfeito. Entre os mais próximos de Caco a palavra traição é a predileta.

Uma associação entre Mário Ielo e Caco Colenci cairia com a tarja de surreal para muitas correntes políticas da cidade, afinal, além de estarem em lados opostos há muitos anos, ambos já deram declarações públicas de que o perfil de um não bate com o do outro. Isso, aliás, foi o único pensamento convergente dos dois nos últimos 15 anos.

Caco Colenci tem ressentimentos com o presidente do PSDB João Cury Neto, algo que contagiou todo o Partido Verde. A sigla está dividida, pois uma ala defende a aliança com Ielo, sendo que outra contesta tal associação. Nesse contexto também figura o DEM, partido próximo de Caco Colenci.

Recém aliado do irmão, Júnior Colenci torce para que a união seja selada. Tem feito articulações para tal. “Eu torço para dar certo, acho que vai dar certo. O Ielo foi duas vezes prefeito e o Carlos (Caco) conhece a máquina. As conversas estão boas e em breve podemos ter novidades”, disse Júnior Colenci, que em 2012 foi vice de Ielo, contra o irmão Caco que fazia a articulação na reeleição de João Cury.

 

ID_23425_Ielo
Mário Ielo estaria propenso a aceitar Caco

Como Mário Ielo aceitaria Caco de vice?

É o que todos se perguntam. Pelos termos propostos por Colenci em uma primeira conversa, não, não aceitaria a união por considerar abusivo o pacote pedido no primeiro encontro. O ex-prefeito só não dispensou uma provável dobrada por considerar que o PV é um partido importantíssimo no tabuleiro.

Mas as conversas evoluíram muito. O PDT, por mais que Ielo negue, necessita de mais nomes para a eleição no proporcional, ou seja, de vereadores. Essa chapa só fecharia a conta de forma eficaz com a coligação PDT/PV, caso contrário, apenas Rose Ielo e Carlos Trigo teriam condições de eleição. Mário Ielo sabe muito bem que uma candidatura ao executivo só terá viabilidade com um time forte de candidatos a vereança nas ruas.

Radialista Thiago Lucas seria a alternativa de Mário Ielo
Radialista Thiago Lucas seria a alternativa de Mário Ielo

Caso a eminente dobradinha não ocorra, Mário Ielo escolheria o radialista e publicitário Thiago Lucas, entendendo que precisa recuperar uma parcela importante do eleitorado, a juventude. Thiago aguarda o desfecho de forma reservada, mas aceitaria o convite se a decisão fosse caseira. Dentro do próprio comando há receio nessa escolha.

Caco ainda conversa com Reinaldinho e Lelo Pagani, que lhe ofereceram a participação de homem forte em um eventual governo, como trouxe o Acontece Botucatu na última semana. A chance é remota, pelo menos para eleição de outubro, ficando a escolha ou não para depois do pleito. Com larga experiência no legislativo, os pré-candidatos teriam dificuldade no executivo e Caco seria a chave do cofre, como dizem interlocutores.

 

Foto Marcelino Dia/Acontece Botucatu: Caco e João em animada conversa durante lançamento do novo portal Acontece Botucatu
Foto Marcelino Dia/Acontece Botucatu: Caco e João em animada conversa durante lançamento do novo portal Acontece Botucatu

PSDB tentou repatriar Caco para a base

Não houve confirmação de nenhuma das partes, mas Caco Colenci teria sido chamado pelo Prefeito João Cury para uma conversa em seu gabinete na última terça-feira, 14. O intuito seria tentar impedir Caco de se aliar com Mário Ielo.

Mário Pardini, pré-candidato pelo PSDB, também o teria procurado para uma repatriação ao ninho que deixou em maio.  João tentaria convencer Caco a ficar na base e não fortalecer o outrora inimigo.

Teria sido cogitado que a questão do vice de Pardini poderia ser revista. Caco teria jogado que, se não serviu até ali para ser candidato, não serviria também daqui em diante. Ninguém confirmou o encontro, muito menos a oferta ou o teor da conversa, mas fontes próximas garantem que ela existiu.

 

PV diz que fará sabatina para decidir apoio

Paralelo ao que negociam Caco Colenci e Mário Ielo, o PV diz que fará na próxima semana uma espécie de sabatina com todos os pré-candidatos a prefeito e, depois disso, decidir qual projeto apoia. Segundo Rodrigo Biasotti, presidente do PV, essa discussão será feita com partidários que irão disputar a eleição para vereador.

“Nada mais justo ouvir quem será candidato ao legislativo, pois o candidato a vereador é um importante cabo eleitoral de um candidato a prefeito. No PV não se discute amor ao um determinado candidato, mas sim projeto e plano de governo”, disse Biasotti.

Rodrigo Biasotti diz que o PV fará sabatina com pré-candidatos
Rodrigo Biasotti diz que o PV fará sabatina com pré-candidatos

Sigla a parte, Biasotti deixou escapar em contato telefônico com o Acontece Botucatu, que sua preferência é pelo envolvimento do PV na disputa pelo majoritário. “Nas últimas eleições o PV lançou candidato e minha vontade é lançar uma candidatura própria, o que acho difícil, ou colocar o nome a vice. Mas o PV não se decidiu ainda, pois achamos que todos têm boas propostas, independente de tamanho de campanha ou pesquisa”, disse Rodrigo.

Se a preferência do comando do PV é indicar o nome a vice, tendo as chapas Pardini-Peres, Bilo-Albornoz e Reinaldinho-Lelo já definidas, sobra para os Verdes uma improvável aliança com o PT de Erick Facioli e o PDT de Mário Ielo. O prazo está se esgotando.