Legisladores querem informações sobre PS Municipal

Por intermédio do requerimento nº 796/2010 apresentado e aprovado na última Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Botucatu é solicitado ao Executivo informações se as adequações necessárias para garantir o funcionamento do Pronto Socorro Municipal instalado na Vila Assumpção já foram finalizadas pelo Poder Executivo.

De acordo com os autores da propositura, vereadores Fontão (PSDB) e Xê (PSDB), também é solicitado o envio do custo mensal de operação do equipamento e se há a possibilidade de existir parceria entre Prefeitura e Universidade Estadual Paulista (Unesp) para incrementar a gestão do PS. Uma propositura neste sentido também foi feita pelos vereadores Lelo Pagani (PT) e Professor Nenê (PSB).

Sobre esse assunto o secretário Saúde, Antônio Luiz Caldas Júnior, adiantou que não existe um prazo determinado para que o novo PS entre em operacionalidade. Segundo ele, estão sendo mantidos contatos com a Unesp para que ela possa ajudar na administrar o hospital.

{bimg:7013:alt=interna1:bimg}

“Nós só vamos colocar o PS em funcionamento quando tudo estiver acertado. Construir o prédio de um hospital é muito mais fácil do que manter ele em funcionamento com médicos, enfermeira e outros servidores, além de equipamentos para dar atendimento qualificado ? população”, salientou Caldas.

Frisa o secretário de Saúde que o objetivo do Poder Público é fazer uma administração compartilhada com a Unesp. “Os entendimentos estão adiantados e acredito que poderemos chegar num consenso. Queremos dar a população de Botucatu um PS Municipal com o mesmo nível do PS da Unesp”, finalizou.

Sempre quando questionado sobre esse assunto o prefeito João Cury Neto,

{bimg:7014:alt=interna1:bimg}

não poupa críticas ? administração anterior e vai na mesma linha do secretário de Saúde. “Quando assumimos o PS estava uma porcaria. Tivemos que chamar a empresa que construiu o prédio e ameaçar a suspensão do pagamento que deveria ser feito pela prefeitura se ela não refizesse uma série de obras da parte civil que estava em desacordo com a legislação, Anvisa e Vigilância Sanitária. Chamamos a empresa e ela concordou em refazer sem cobrar nada por isso e houve concordância da empresa de que haviam obras que deveriam ser refeitas”, lembra o prefeito.

Agora, prossegue o prefeito, estamos tratando da gestão do PS e detectar quem vai tocar esse PS com a prefeitura. “Nossa idéia é trazer o Hospital das Clínicas (HC) da Unesp para que assuma conosco essa gestão. O PS da Unesp é de alta confiança e credibilidade da população e queremos trazer essa credibilidade ? cidade para que essa gestão seja feita. Estamos terminando o esboço do contrato de gestão que será feito entre prefeitura, governo do Estado e Unesp. Não posso antecipar uma data, mas estamos dando andamento a esse contrato de gestão que será feito”, complementou.

Foto: Valéria Cuter