Justiça arquiva caso sobre declarações de Mário Ielo duvidando do resultado das urnas

 

oficia-ielo-caco-13
Ielo disse em vídeo duvidar do resultado das urnas após derrota para Mário Pardini

A Justiça Eleitoral de Botucatu julgou nesta sexta-feira,14, o processo que foi instaurado contra o ex-prefeito Mário Ielo sobre suas declarações após o pleito eleitoral. Ielo, que foi candidato a prefeito pelo PDT, disse no dia 05 de outubro, em vídeo divulgado na internet, que duvidava do resultado das urnas.

Em 02 de outubro Mário Ielo obteve 21.663 votos e foi derrotado nas eleições municipais para o candidato do PSDB Mário Pardini, que totalizou 39.045 votos. “Fazendo uma análise do resultado das urnas, gostaria de dizer que não acredito no resultado obtido. Nós fizemos uma campanha propositiva, colocando nossa proposta para todos os bairros da cidade de Botucatu. Todos os indicadores mostravam nossa vitória no dia 02 de outubro. Agora, conversando em todos os lugares que eu vou, a população achou estranho e me perguntam: O que aconteceu? Queria dizer que o processo eleitoral não se resume apenas ao resultado das urnas e sim em toda legalidade do processo eleitoral”, disse Ielo em vídeo na oportunidade.

Após a publicação da notícia pelo Acontece Botucatu, a Justiça Eleitoral se pronunciou sobre as declarações do ex-prefeito. “Acho que a coligação ‘Somos todos Botucatu’ confia tanto na justiça eleitoral, que na cerimônia de lacração das urnas não tinha nenhum fiscal ou representante do candidato Mário Ielo. Foi feita auditoria nas urnas e não há o que se falar. Então, quero acreditar que essas dúvidas não sejam em cima da Justiça Eleitoral”, disse na oportunidade Igor Ignácio, chefe do Cartório Eleitoral.

JOSIAS 02
Dr. Josias Martins de Almeida Junior: “Foi apenas uma percepção intima e pessoal do candidato”, diz o magistrado em trecho final do despacho

No despacho desta sexta-feira, o Juiz Eleitoral Dr. Josias Martins de Almeida Junior cita que o ex-prefeito se defendeu ao afirmar que jamais quis colocar em dúvida as atuações de Juiz, Promotor e Servidores do Cartório Eleitoral. Mas fez uma ressalva.

Ielo afirmou em sua defesa que representações contra o candidato Mário Pardini não foram julgadas antes das eleições e que isso poderia mudar o resultado das urnas. No despacho o Juiz afirma que tal fato não procede, já que as representações de sua coligação foram todas avaliadas pela 26ª Zona Eleitoral e as que não foram, ainda aguardam o devido processo legal, sendo que as mesmas nem são do interpelado (Mário Ielo).

As denúncias foram protocoladas pela coligação ‘Renova Botucatu’ (PR-Rede-PRP e PHS) do candidato Reinaldinho, estão sendo analisadas. A coligação afirma que o prefeito eleito Mário Pardini visitou prédios públicos enquanto candidato, o que é vedado pela legislação eleitoral.

Na primeira, trata-se de uma visita ao prédio da Pinacoteca, fato que ocorreu no mês de junho, ou seja, antes do período eleitoral. A segunda seria uma visita no projeto Joana de Angelis. A defesa de Mário Pardini alegou que o local não se trata de um prédio público e sim de uma entidade sem fins lucrativos.