Guerra declarada: Partidos trocam de mãos e de candidatos em Botucatu; toma lá, dá cá deve continuar

partidos

Um dia agitado nesta sexta-feira, 22, no Cartório Eleitoral de Botucatu. Partidos mudaram de lado e causaram uma reviravolta nas composições políticas da cidade. O clima nos bastidores é tenso.

A primeira disputa envolveu o PMB (Partido da Mulher Brasileira), sigla que está coligada com o pré-candidato Mário Ielo (PDT). Logo pela manhã o partido teve alteração na presidência, que passou de Márcia Rossato, ex-secretária de Planejamento do governo Mário Ielo, para a Cleusa de Almeida, irmã do ex-vereador Cula, aliado de Mário Pardini.

Mas a alteração durou apenas algumas horas, pois ao final do dia o Partido já estava novamente com Márcia Rossato. Na próxima segunda, 25, o grupo liderado pelo PSDB, que tem como presidente o prefeito João Cury, tentará nova investida pelo PMB.

Nova composição do PTC no site do TSE
Nova composição do PTC no site do TSE

Na mesma linha foi o PTC (Partido Trabalhista Cristão), até então presidido por José Roberto Pimentel, que também estava apoiando Mário Ielo e Caco Colenci, mas por uma troca de cadeiras, volta a se aliar com Mário Pardini. O novo presidente do PTC agora é Marcos Cordeiro, filho de Aparício Cordeiro, coordenador da pré-campanha de Mário Pardini.

Mas a guerra não parou por aí. No apagar das luzes o DEM, que também estava apoiando Mário Ielo e Caco Colenci, sofreu uma reviravolta. Saiu do comando o empresário José Orleans e assumiu o professor Argeu Maurício de Oliveira. Desta forma, o DEM volta a apoiar Pardini.

Motivo da guerra: Nova direção do PSD
Motivo da guerra: Nova direção do PSD

Toda essa movimentação seria uma retaliação ao fato do PSD ter novo presidente. O partido, que antes tinha como presidente o advogado Junot de Lara Carvalho, um dos principais aliados do PSDB, agora oficialmente pertence ao ex-vereador petista Nenê, que já rumou para apoiar a chapa de Mário Ielo e Caco Colenci. Na próxima semana a guerra de partidos deve continuar a esquentar o clima político da cidade.