Grande quantidade de lixo eleitoral é encontrada em rio da cidade

Na tarde desta terça-feira o presidente da Defesa Civil do Município, Domingos Chavari Neto, compareceu na ponte do Ribeirão Água Fria na ponte que fica nas proximidades da Associação Atlética Ferroviária (AAF) e Terminal Rodoviário, para verificar uma denúncia feita por populares que visualizaram uma grande quantidade de lixo, oriundos de campanha eleitoral.

Foram jogados ao rio, centenas de placas e cartazes, com nome de diferentes candidatos. O mais interessante é que todo esse material é da campanha de candidatos do PT de quatro anos atrás, ou seja, de 2006.

“Fomos informados da situação, viemos averiguar a denúncia e nos deparamos com esse absurdo, essa falta de cidadania. Foi jogado muito lixo eleitoral nesse ribeirão que já é problemático, pois não são raras as ocasiões em que transborda em dias de chuva intensa. É um desrespeito ao cidadão botucatuense”, criticou Chavari.

Ele acionou a Patrulha Ambiental da Guarda Civil Municipal, assim como a Polícia Militar Ambiental, pois entende que foi caracterizado um crime contra o meio Ambiente. O crime foi apresentado ao delegado Marcelo Lanhoso de Lima, titular do 1º Distrito Policial (DP).

“Parece-me que todo material é do PT, porém até que se prove a culpa, ninguém poderá ser acusado de nada. Mas este crime ambiental praticado contra a população de Botucatu não pode ficar impune. Também estamos acionando as pessoas que foram candidatas em 2006, assim como o respectivo partido para que expliquem como esse material foi parar no rio. Se a pessoa quisesse se livrar de toda essa papelada, bastava doar tudo para quem trabalha recolhendo papel na rua.

Segundo o presidente da Defesa Civil, ele chegou a conversar com um dos candidatos de 2006 que está com cartazes espalhados pelo rio. Segundo Chavari esse ex-candidato alegou que não sabia o que estava acontecendo e desconhecia que este material existia, garantindo que tudo que lhe foi entregue durante a campanha foi usado.

“Por isso essa situação é complicada. Se isso for verdade quero entender que teve gente que por motivos não esclarecidos ficou com material de campanha e não distribuiu aos candidatos ou aos cabos eleitorais. Por enquanto nenhuma pessoa ou o partido pode ser acusado de nada, mas essa história tem que ser bem explicada, pois estamos diante de um flagrante de crime ambiental”, finalizou Chavari.

{n}PT se diz indignado{/n}

“Estamos indignados com esta situação!” Foi o argumento do presidente do PT de Botucatu, Carlos Cesar Ramos, o Carlão, com relação ao material de campanha encontrado no Ribeirão Água Fria na tarde desta quarta-feira. “Isso não é do perfil do PT, que ao longo de sua história sempre se mostrou defensor do Meio Ambiente. Posso assegurar que esse material jogado no rio não passou pelo PT”, alegou.

Ele acha estranho que ? s vésperas de uma eleição essa material apareça do nada em um rio. “O pior de tudo é que é da campanha de 2006. Quem do PT iria guardar todo esse material por tanto tempo? O que posso dizer é que estamos indignados com esse crime ocorrido em Botucatu e vamos até as últimas consequências para ver tudo devidamente esclarecido”, garantiu o presidente petista.

A primeira atitude, segundo Carlão, é elaborar um Boletim de Ocorrência (BO). “Queremos que seja feita uma investigação minuciosa. O que aconteceu hoje (quarta-feira) em Botucatu foi um crime contra o Meio Ambiente com o propósito claro de denegrir a imagem do partido e precisa ser esclarecido”, sacramentou o presidente do PT.

Fotos: Valéria Cuter