Dilma e Serra fazem um confronto técnico no último debate

Os dois jogaram pelo empate. Se fosse uma partida de futebol é assim que se poderia definir o último debate entre os dois candidatos a presidente da República, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PMDB), ocorrido na noite de ontem na Rede Globo de Televisão e que alcançou o patamar de 30% no ibope.

Ambos os candidatos se preocuparam o tempo todo em escolher as palavras com o intuito de não cometer nenhum deslize e evitar uma frase mal colocada que pudesse gerar a perda de votos. Com isso, os candidatos acabaram protagonizando aos telespectadores um debate mais “técnico” do que os anteriores.

Isso porque e fórmula apresentada previa somente perguntas de eleitores indecisos (80 que foram convidados) e isso acabou impedindo o confronto direto que seria o mais interessante. Somente nas réplicas e tréplicas os candidatos puderam se questionar e isso deixou fora das discussões temas que poderiam gerar um embate mais significativo.

Outro detalhe é que os candidatos estavam visivelmente desconfortáveis ficando em pé, caminhando de um lado para o outro. Para se ter uma idéia da morosidade do embate político, o primeiro e mais acalorado (se é que podemos chamar assim) confronto direto, foi com a pergunta sobre corrupção no governo feita por um advogado. Nem mesmo esse assunto polêmico conseguiu criar um clima de um debate, propriamente dito.

Houve sim, algumas “alfinetadas” de ambos os lados em outros assuntos discutidos como educação, saúde, segurança, impostos ou inflação, mas o tom ameno (e prudente) foi a tônica desse último debate das eleições 2010. Até assuntos que foram muito discutidos durante a campanha como aborto e privatizações ficaram fora. Evitou-se a polêmica.

A maior preocupação dos candidatos e de suas respectivas assessorias foi a de não cometer deslizes, que pudesse causar estragos nesta reta final, na derradeira oportunidade que os dois, que postulam o maior cargo da República Federativa do Brasil, tiveram de apresentar suas propostas aos eleitores.

O resultado de tudo que os dois candidatos fizeram ao longo da campanha será conhecido a partir das 17 horas desse domingo quando se encerram as eleições de 2010 e as urnas serão abertas. Então, a população brasileira irá conhecer o seu novo presidente que guiará os destinos do País a partir de 1º de janeiro de 2011.

Foto: Divulgação