Degradação de rios urbanos é debatida na Câmara

Através de uma propositura aprovada pela unanimidade dos vereadores, o presidente da Câmara Municipal de Botucatu, vereador Curumim (PSDB), empreendeu discussão sobre os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a atuação situação de degradação dos rios urbanos na Cidade.

O parlamentar tucano questiona a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) em relação ? existência de um Plano de Ação visando acabar definitivamente com o diário lançamento irregular de esgoto residencial ‘in natura’ nos corpos hídricos situados em diversos locais do Município. “Trata-se de uma grande preocupação para Botucatu, uma vez que engloba problemas relacionados ao Meio Ambiente, ? Saúde Pública, além de ser um anseio antigo dos moradores ribeirinhos”, justificou.

Ainda neste parâmetro, o parlamentar questiona o Executivo em relação ao andamento do projeto de construção de cinco reservatórios de amortecimento de cheias nos córregos Lavapés, Água Fria, Cascata, Antártica e Tenente.

Salienta que o Governo Federal enviou recursos da ordem de R$ 39,8 milhões para serem investidos na implantação da iniciativa, que tem por finalidade evitar alagamentos em pontos que há anos são considerados críticos.

Já em parceria com o vereador Fontão, o chefe do Legislativo solicita a realização de recapeamento asfáltico na Rua Jornalista Pedro Chiaradia, no Conjunto Habitacional “Engenheiro Francisco Blasi”, tendo em vista que existem buracos no local que prejudicam o fluxo e danificam automóveis.

Também em parceria com Fontão, mas em outra frente de trabalho, o presidente Curumim solicita ao Executivo Municipal a possibilidade de a possibilidade de oferecer incentivos fiscais a proprietários de terrenos localizados no Centro da Cidade que transformem seus lotes locais em áreas para estacionamento de veículos. “A ação seria benéfica para sociedade, pois, atualmente, estacionar no centro comercial de Botucatu é uma tarefa árdua”, coloca.