Criação de Centro Psicossocial é debatido em Audiência

A Câmara Municipal de Botucatu recebeu um bom público durante a noite da última terça-feira, quando foi realizada a Audiência Pública que tratou da implantação de um Centro de Atenção Psicossocial para o atendimento de crianças e adolescentes (CAPsi), no município. O encontro foi promovido atendendo a um requerimento que teve como primeiro signatário, o vereador Lelo Pagani (PT).

 Compuseram a mesa diretora que conduziu os trabalhos, o vereador autor da solicitação, que presidiu a Audiência, o presidente do Poder Legislativo botucatuense, vereador André Rogério Barbosa – Curumim (PSDB), o coordenador de Saúde Mental da Secretaria de Saúde, Márcio Pinheiro Machado,  a representante da Faculdade de Medicina de Botucatu, Gisele Aparecida Godoy Merlin e a coordenadora do Fórum Municipal de Saúde Municipal, Marcela Nardo. Além destes, diversos representantes de entidades e munícipes estiveram presentes no encontro, além dos vereadores Carlos Trigo (PT), Rose Ielo (PT) e Luiz Fontes – Fontão (PSDB).

 O encontro foi motivado por uma necessidade constatada no Fórum Permanente Intersetorial de Saúde Mental realizado em Botucatu no final de 2014, que é a criação de um espaço específico dedicado à crianças e adolescentes, que hoje recebem atenção especial na Associação Arte e Convívio, que não conta com um espaço direcionado para o desenvolvimento de trabalhos específicos para os mesmos. A ideia é que o município possua um Centro de Atenção Psicossocial para atendimento a crianças e adolescentes – CAPsi.

 Para o organizador da audiência, o encontro teve saldo bastante positivo. “Mais uma vez cumprimos com nosso papel e enriquecemos muito a questão com um debate amplo, com a opinião de diversos profissionais. O que precisamos agora é tornar prático o que foi discutido na audiência. É hora de lutarmos por algo concreto, fora do papel e o primeiro passo será a apresentação de um pedido por mais agilidade na construção do tão necessário CAPsi”, analisou Pagani.