Candidatos a prefeito discutem propostas em debate

Fotos: Quico Cuter

Os três candidatos a prefeito de Botucatu: João Cury Neto (PSDB) que busca a reeleição encabeçando a coligação “Todos Juntos Pelo Melhor”; Mário Ielo (PT) da coligação “Botucatu Para Todos” e Gustavo Henrique Passerini Alves, o Bilo (PSOL) participaram do primeiro debate que aconteceu na manhã deste sábado (25) no auditório da Rádio Emissora de Botucatu PRF-8, sob o comando do diretor Caio Paganini.

Além de o auditório estar lotado, do lado de fora muitas pessoas ouviram o debate pelo sistema de som colocado pela emissora. A grande maioria era de apoiadores do candidato João Cury Neto. Durante todo o debate não houve nenhum pedido de direito de resposta ? comissão formada por Caio Paganini, Silvia Moralles e Daniela Moralles. No controle de tempo dos candidatos esteve o professor Marcos Camargo, o Cebolinha.

O confronto mediado por Maurício Seródio foi transmitido ao vivo, durante o programa “O Palanque”. Debate teve seis blocos e as regras foram definidas de comum acordo com as respectivas assessorias políticas dos candidatos. Para evitar qualquer tipo de questionamento, toda participação dos candidatos foi feita através de sorteio.

{tam:25px}{n} Primeiro Bloco {/tam}{/n}

No primeiro bloco os candidatos responderam a uma pergunta surpresa feita pela direção do programa, tendo como tema a corrupção enfocando qual seria a postura de cada um, caso eleito, se detectasse casos de corrupção em seu governo. Todos responderam que afastariam os supostos envolvidos a fariam uma investigação para apurar responsabilidades. Porém João Cury não perdeu a oportunidade de “alfinetar” Ielo sobre o caso do mensalão que está sendo julgado em Brasília, envolvendo membros do PT.

{tam:25px}{n} Segundo Bloco{/tam}{/n}

No segundo bloco a organização preparou vários temas e três deles foram sorteados. O primeiro tema sorteado foi Habitação e coube a Mário Ielo questionar João Cury citando que no governo petista foi lançado o Programa “Minha Casa Minha Vida”, que distribuiu unidades habitacionais para todo Brasil e Botucatu foi beneficiada. Citou também que a cidade de Bauru obteve mais de 10 mil casas. Em resposta Cury disse que o petista construiu em oito anos de mandato apenas 29 casas e ele mais de 1.400 em menos de quatro anos. Ielo contrapôs o argumento alegando fez mais de mil casas e que Cury construiu com verbas do Governo Federal, ou seja, do PT e Cury alegou que foi buscar verbas no Governo Federal e conseguiu mais dinheiro em quase quatro anos de gestão do que Ielo em oito anos.

Em seguida foi sorteado o tema Educação e João Cury elencou suas obras antes de perguntar a Gustavo Bilo qual era o seu projeto para o setor. Teve como resposta que em seu governo a Educação terá prioridade, pois entende que a Educação é a base do ser humano e investir no ser humano não é gasto e sim investimento.

Na rodada final desse bloco foi sorteado o tema mobilidade urbana e Gustavo Bilo teceu críticas ? s duas administrações que segundo ele, pouco investiram no setor e perguntou a Ielo qual era sua proposta. Petista, entre outras coisas, alegou que irá revitalizar logradouros públicos para lazer e entretenimento e criar um novo sistema viário com finalidade de interligar os bairros.

{tam:25px}{n} Terceiro Bloco{/tam}{/n}

O terceiro bloco foi o mais aguerrido já que os candidatos sorteado pode escolher o tema para formular a pergunta, tendo réplica e tréplica. João Cury direcionou sua pergunta a Ielo. Salientou que em seu governo acabou com o monopólio do transporte coletivo urbano, já que existia apenas uma empresa operando na Cidade e questionou Ielo lembrando que no último mês de seu mandato renovou o contrato com a empresa que explorava sozinha o transporte público por mais dois anos. No seu argumento Ielo disse que embora a cidade tenha duas empresas os problemas continuaram e ele irá instalar linhas tronco para atender a todos os bairros.

Na sequencia foi a vez de Ielo questionar João Cury e escolheu a Saúde como tema. Acusou o prefeito de ter fechado o Hospital Sorocabana e existir muita demora no atendimento do Pronto Socorro que construiu em seu governo e demorou mais de três anos para ser inaugurado. Citou, também, que o atendimento não satisfaz as necessidades da população. Cury contra-atacou alegando que quando assumiu a Prefeitura, o Sorocabana estava agonizando e a Prefeitura comprou o prédio que está sendo reformado para ser um Hospital Pediátrico. Sobre a demora da inauguração do PS observou que o prédio teve que ser reformado, pois foi mal construído no governo interior (do Ielo). E medidas estão sendo adotadas para diminuir o tempo de espera. Lembrou que também estão sendo construídos um hospital depois de 40 anos e uma clínica para dependentes químicos.

Gustavo Bilo fez o comentário, de acordo com as regras estabelecidas no debate para este bloco e disse que ambos (Cury e Ielo) tiveram a oportunidade de melhorar o sistema de Saúde no Município e será necessário investir na contratação de médicos e qualificação dos atendentes.

Depois foi a vez de Mário Ielo fazer sua pergunta a Gustavo Bilo. Optou pelo tema coleta seletiva de lixo e aterro sanitário que no seu entender não funcionam de maneira satisfatória e causam danos ao Meio Ambiente e a Saúde Pùblica. Disse que o projeto que prevê a privatização será votado na Câmara é prejudicial ? Cidade, pois (a privatização) iria permitir que outras cidades da região despejem seu lixo no aterro de Botucatu. Gustavo Bilo enfatizou que seus adversários tiveram oportunidade de resolver o problema e não resolveram. No comentário João Cury reconheceu que os problemas no aterro existem e quando assumiu a Prefeitura teve que pagar uma multa de mais de R$ 100 mil deixada pelo governo Ielo. Salientou que o problema que será votado na Câmara deverá solucionar o problema com a tercerização para um empresa especializada no ramo.

{tam:25px}{n} Quarto Bloco{/tam}{/n}

Nesse bloco Gustavo Bilo destacou que João Cury faz parte de uma coligação que agrega 14 partidos e lhe pergunta o que irá fazer para agradar a todos, caso seja reeleito Cury disse que tem como ideologia ouvir as pessoas, pois quando mais se ouve as pessoas menos se erra e está sempre aberto ao diálogo. Garante que todos que vieram pra somar terão oportunidade no seu governo independente de cargos. Na réplica Gustavo Bilo argumentou que seus dois adversários fizeram acordos com muitos partidos e o PSOL fez aliança com o povo. Entende que as secretarias devem ser ocupadas por pessoas qualificadas e a escolha tem que ser técnica e não politica. No comentário Ielo disse que os partidos de sua coligação ajudaram a construir seu programa de governo que está registrado em cartório e a intenção de João Cury, se ganhar a eleição, não é fazer nudanças e sim manter o secretariado atual.

Na sequência João Cury disse que para atender a população a Prefeitura passou a trabalhar no horário de almoço e perguntou a Ielo se pretendia manter essa normativa de trabalho. Ielo disse que irá conversar com os funcionários para ver se estão de acordo. Em seu governo vislumbrou essa mudança, mas o funcionários não aceitaram. Ele manteria a prefeitura aberta no almoço se houver consenso entre os funcionários. Cury mostrou um artigo de jornal onde Ielo teria afirmado que a prefeitura não iria abrir no almoço. No comentário Gustavo Bilo disse que quem tem que decidir se a prefeitura vai abrir ou não é a população.

{tam:25px}{n} Quinto e Sexto Blocos{/tam}{/n}

Nos dois blocos finais foi de muita calmaria. No quinto três jornalistas da Cidade fizeram uma pergunta para um candidato decidido por sorteio sem réplica ou tréplica. No sexto e último bloco os candidatos fizeram suas considerações finais.