Câmara quer proibir realização de ‘feirões’ na Cidade

O líder do prefeito na Câmara Municipal de Botucatu, Bombeiro Tavares (foto), vereador do DEM, é autor de um requerimento apresentado e aprovado pelo demais legisladores da Câmara Municipal de Botucatu, que solicita ao Executivo Municipal estudos no sentido de coibir a vinda dos ‘feirões’ na Cidade.

De acordo com Tavares, o Município pertence ? rota dos feirões, onde fabricantes e vendedores de vestuários se instalam na cidade para realizar uma campanha de 10 dias e depois vão embora. Esses eventos, segundo ele, muitas vezes fere a legislação que rege e regulamenta a atividade comercial em Botucatu.

“Entendo que a permissão para a prática desse tipo de comércio traz muitos prejuízos aos lojistas e empresários da cidade que recolhem seus impostos, contratam funcionários e geram empregos e renda, ao contrário dos feirões que se instalam no Município, arrecadam vultosos valores e vão embora recolhendo seus impostos em outros municípios”, explana Tavares. “Além disso, não geram vagas no mercado de trabalho, pagam um valor ínfimo de ISS, levam nossas divisas e acarretam grande queda nas vendas do comércio local”, emenda o parlamentar do DEM.

Ele destaca que recebeu inúmeras reclamações de comerciantes da cidade que solicitaram uma manifestação pública dos vereadores. “Os comerciantes nos procuraram alegando que somente durante o mês de julho deste ano, três feirões foram instalados no Município e isso gerou sérios problemas nos negócios, pois os munícipes só retornarão ? s compras após o pagamento das prestações assumidas por vários meses”, pondera o líder do prefeito na Câmara.

Por isso, continua o vereador do DEM, é tomamos a iniciativa de elaborar esse documento ao Executivo. “Entre outras coisas, solicitamos que, nos termos da Lei Orgânica do Município e juntamente com o departamento competente, se realize estudos no sentido de coibir a vinda desses feirões ? cidade. Não queremos prejudicar o trabalho de ninguém dessa atividade comercial, mas nosso objetivo é incentivar e valorizar o comércio local”, justificou Tavares, que aguarda manifestação do Poder Executivo sobre esta questão.