Câmara aprova reajuste de Servidores Municipais. Vencimentos de Vereadores também tiveram reajuste

A Câmara Municipal de Botucatu votou na noite desta segunda, 21, um total de 8 projetos que falavam sobre o reajuste dos Servidores Municipais, vale compra alimentos e Auxílio Saúde. Todos os projetos da Sessão Extraordinária foram aprovados por unanimidade, mas nem todos os parlamentares eram favoráveis.

A vereadora Rose Ielo (PDT) usou da tribuna para falar que a Prefeitura teve um superávit de R$ 25 milhões em 2015, sobra que poderia ser usada para um reajuste maior para o funcionalismo. “Vou votar favorável, lógico, pois se votar contrário o funcionário perde. Mas eu questiono o aumento de arrecadação da Prefeitura com o IPTU por exemplo, e a não reposição da inflação para seus funcionários. Não repor a inflação para o funcionalismo foi falta de vontade política do prefeito”, disse na tribuna a vereadora petista. 

O vereador Reinaldinho criticou o reajuste de 5% para os funcionários. O parlamentar do PR também questionou a não reposição da inflação, se dizendo solidário aos poucos funcionários presentes na Casa de Leis. “Nos últimos anos a Prefeitura gastou em média 40% das receitas com pessoal, quando o limite por lei é de 54%. Gostaria de saber o motivo de estar bem abaixo do limite”, questionou.

Fazendo média?

O líder do prefeito na Câmara, Fernando Carmoni (PSDB), usou também da tribuna para dizer que gostaria de votar um reajuste que pudesse abranger a reposição da inflação, mas destacou a atual situação econômica para o posicionamento da Prefeitura. Carmoni deixou nas entrelinhas que o vereador Reinaldinho estaria fazendo média com os funcionários, pois é pré-candidato a prefeito. Os nove manifestantes presentes ficaram de costas na fala do tucano. 


Imediatamente o vereador Lelo Pagani (Rede), vice na pré-candidatura de Reinaldinho, usou do microfone para criticar Carmoni. “Pedir a reposição da inflação é fazer média, vereador Carmoni ? Então eu também estou fazendo média. Reinaldinho, vamos ter que rever essa situação, pois o servido municipal merece respeito”, colocou Lelo, fazendo alusão a uma possível vitória de sua chapa nas eleições municipais.

Manifestação sem adesão 

Membros da diretoria do SISPUMB, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Botucatu, estavam na Câmara com cartazes e nariz de palhaço. No máximo 10 pessoas compareceram, número bem abaixo do que se imaginava antes da sessão.

 

Vereadores aumentam os próprios vencimentos

O sexto projeto da extraordinária, PL Nº. 21/2016, revisava em 5% os subsídios dos Vereadores e do Presidente da Câmara Municipal de Botucatu. Não houve discussão e o projeto foi aprovado em poucos segundos.

Na moção contra Lula faltou a Rose

No momento em que foi lida a moção 33/2016, de autoria de Izaias Colino (PSDB), contra a nomeação do ex-presidente Lula como Ministro Chefe da Casa Civil, a vereadora Rose Ielo estava ausente do plenário. Fernando Carmoni não deixou passar em branco, pedindo para ser relatada a ausência da colega. Logo em seguida Rose voltou. 

Grande expediente suprimido, mais uma vez

Vereadores votaram a supressão do grande expediente, mais uma vez. Rose Ielo foi contra, e voto vencido, mais uma vez.

Pardini não foi

Mário Pardini, Superintendente da Sabesp iria falar na Câmara sobre o dia mundial da água, comemorado nesta terça, dia 22. Iria, pois não chegou a tempo de compromissos em São Paulo. Como pré-candidato do PSDB a prefeito, Pardini poderia passar por alguma saia justa com manifestantes contrários ao governo municipal na questão do reajuste.

(Fotos: André Godinho)