Caco Colenci vai deixar o governo para se candidatar

Ainda buscando a indicação de candidato a vice, ele é taxativo ao dizer: “De todos eu só não conversei com o Mário Ielo.

O secretário de Governo Caco Colenci deve se afastar em breve de suas funções na Prefeitura Municipal. O motivo é simples, eleição em outubro.

Ao Acontece, Caco disse que se vê obrigado a deixar seus trabalhos no executivo municipal. Ele afirma que o motivo não é pessoal com o atual prefeito. “O motivo é muito mais político do que pessoal. O João (Cury) é um irmão para mim, não é nada pessoal. Como ocupo um cargo de confiança, tenho que me desincompatibilizar. O termo é de difícil pronuncia, mas é o correto. Ainda estou estudando o que fazer nas eleições, mas caso haja algo concreto, terei que me afastar”. Coloca.  

Presente na administração Municipal desde o primeiro mandato de João Cury Neto, Caco sempre fez parte da chamada tropa de choque que dá sustentação ao atual governo. Já foi Chefe de Gabinete, Secretário de Planejamento e atualmente é Secretário de Governo.

Por muito tempo cotado para ser o nome do PSDB na disputa eleitoral deste ano, Colenci praticamente abriu mão da disputa em nome de Mário Pardini, Superintendente da Sabesp que foi escolhido em uma disputa que ainda envolveu os vereadores Izaias Colino e Curumim. “Houve quase um consenso em torno do Pardini. Aceitamos a decisão do partido, pois somos um grupo”, diz.

Questionado se conversa com outros nomes para compor chapa, Caco Colenci é taxativo: “De todos só não conversei com o Mário Ielo. Talvez não haja compatibilidade de ideologia. De resto conversei com o Dr. Junot (De Lara Carvalho do PSD), com os vereadores Lelo Pagani (Rede) e Reinaldinho (PR), aliás, com eles converso sempre, de forma institucional na relação Prefeitura e Câmara. Estou dialogando inclusive com o Pardini”, enfatiza Caco.

Sobre a escolha do vice do PSDB, Caco Colenci afirma que tudo pode acontecer, pois a política é muito dinâmica. Ele novamente voltou a brincar com a célebre frase de Progresso Garcia de que na política só não viu boi voar. “Enquanto a porteira estiver aberta os bois continuarão voando. É preciso ter convergência de pensamento antes de tudo. A política é muito volátil, e não será diferente esse ano. Se não houver isso, volto com todo prazer para advocacia no escritório da família com meu pai e meus irmãos”, finaliza Caco Colenci.