Botucatu vive uma das eleições mais tranquilas de sua história

Muita tranqüilidade. Foi esse o clima das eleições em Botucatu neste domingo, nenhuma ocorrência de natureza grave foi registrada durante todo o dia e nenhuma punição foi aplicada pelo Juiz Eleitoral da Comarca, Luciano Forster Júnior, que vistoriou as três cidades que fazem parte da Comarca: Botucatu, Itatinga e Pardinho. Também a chefe do Cartório Eleitoral, Jane Leme, não registrou problemas com as urnas, nem com eleitores.

Embora houvesse panfletos espalhados pelas ruas da cidade em locais próximos da votação o montante jogado fora foi muito menor do que as eleições anteriores. Também nenhuma autuação foi feita pela Justiça Eleitoral, com relação ? boca de urna, com cabos eleitorais abordando eleitores nas proximidades dos locais de votação. Isso sem falar que não se viu pessoas com camisetas dos seus respectivos candidatos, fatos comum em eleições anteriores.

Outro ponto positivo foi com relação ? agilidade dos eleitores para exercer o direito do voto. Embora tivessem que votar por cinco vezes (presidente da República, governador do Estado, senadores (2), deputado estadual e deputado federal), os eleitores levaram, em média, três minutos para votar. Com isso poucas filas foram formadas ao longo do dia.

Por volta das 8 horas foram abertos os estabelecimentos de ensino para receber eleitores que acordaram mais cedo para exercer o direito ao voto. O primeiro eleitor a votar flagrado pela reportagem do {n}Jornal Acontece Botucatu {/n}foi Domingos Mauro Soares. “Vim cedo para ficar livre e aproveitar o domingo”, disse.

Outros dois flagrantes foram o registro dos votos de Sara Eliza Interdonato, com seus 72 anos, que fez questão de votar e José Brotto, de 90 anos de idade, que foi amparado por sua esposa para poder chegar até a cabine de votação. “Enquanto eu tiver saúde eu vou votar”, disse a mulher. “Acho que nenhum brasileiro pode perder a oportunidade de votar”, completou Brotto.

No que diz respeito á Segurança Pública, o tenente da Polícia Militar (PM), Maurício Lanhoso de Lima, ressaltou quer houve um respeito muito grande por parte dos botucatuenses. “Não tivemos nenhum caso de relevância. Acho que foi esta a eleição mais tranquila já ocorrida em Botucatu. Posso dizer que a população está de parabéns pelo respeito e pela forma como se portaram durante o processo eleitoral”, elogiou Lanhoso de Lima.

O prefeito João Cury Neto, que votou na Escola Industrial, elogiou o comportamento da população de Botucatu e dos candidatos nessa eleição. “Os candidatos e seus cabos eleitorais se respeitaram e não houve agressões verbais. Quem ganha com isso é a população que pode exercer seu direito ao voto, escolhendo, democraticamente, o candidato que apresentou suas propostas. O povo é quem decide seus representantes e a vontade popular tem que ser respeitada”, frisou Cury.

{n}Candidatos buscam os últimos votos {/n}

Durante o transcorrer da eleição os candidatos de Botucatu visitaram os principais pontos de votação da cidade para buscar os últimos votos dos que ainda estavam indecisos. O clima entre os candidatos envolvidos no pleito foi de perfeita harmonia e confraternização.

Eles se encontraram em diferentes pontos de votação, principalmente, na região da Catedral Metropolitana de Botucatu, onde estão instaladas seis escolas que receberam os eleitores: Colégio La Salle, Santa Marcelina, Objetivo, Industrial, Cardosinho e EECA. Em entrevista a diferentes órgãos de imprensa da cidade, os candidatos falaram sobre suas expectativas.

Em Botucatu concorreram ? s eleições deste ano quatro postulantes ao cargo de deputado estadual: Milton Flávio (PSDB), Lelo Pagani (PT), Dr. Bittar (PCdoB) e João Elias (PDT).

Também disputaram as eleições deste ano por Botucatu quatro candidatos a deputado federal: Pedro Manhães (PV), Milton Monti (PR), Renato Galendi (DEM) e Paulo Bassoli (PP).

Fotos: Valéria Cuter / Valério A. Moretto