Audiência vai debater aumento de vagas à Medicina

O vereador Fernando Carmoni (PSDB) em requerimento aprovado na Câmara Municipal está pleiteando mais vagas no vestibular da Unesp, campus de Botucatu. Para isso, durante sessão ordinária, apresentou três requerimentos relacionados ao tema. Dois deles onde o pedido é por mais vagas para os cursos de Medicina e Medicina Veterinária, separadamente. O terceiro é pela convocação de uma audiência pública para debater o tema.

Buscando sucesso no pedido, o legislador pede o auxilio de diversas autoridades, como o prefeito João Cury; deputado federal, Milton Monti; arcebispo metropolitano, Dom Maurício Grotto; presidente Conselho de Pastores Antemo Del´Omo;  diretor titular do CIESP, Raul Tomás; presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Subsecção de Botucatu, André Nogueira; presidente do Parlamento Regional de Botucatu, Vicente di Santi; representantes da imprensa local; Clubes de Serviços; prefeitos e presidentes de Câmaras dos municípios de Anhembi, Pardinho, Bofete, Itatinga, Laranjal Paulista, Pardinho, Pereiras, Porangaba, Pratânia, São Manuel, Torre de Pedra, Conchas e Areiópolis.

Entre os pontos destacados pelo legislador, esta o déficit de vagas nos dois cursos. “O fato é único e inquestionável: os dois cursos já existem na Unesp de Botucatu há cinco décadas e estão sempre entre os melhores do País, mas o curso de Medicina, por exemplo, está desde sua fundação, em 1963, com as mesmas 90 vagas que eram oferecidas e o resultado disso são as relações de candidatos por vagas cada vez maiores e desanimadoras para jovens de Botucatu e de toda região”, comentou.

De acordo com Carmoni, os dois cursos estão estagnados no tempo com relação ao número de vagas. “Nesses últimos 50 anos, a sociedade brasileira observou o crescimento de pontos importantes como a expectativa de vida, as necessidades cada vez maiores por médicos, a criação de leis que protegem os animais e a demanda por veterinários. E mesmo assim, continuamos com o mesmo número de vagas”, justificou.

O legislador aguarda agora pela nomeação de uma Comissão de Assuntos Relevantes, formada por três vereadores e que vai viabilizar uma Audiência Pública na sede do Legislativo, para tratar do tema, ouvir o posicionamento da universidade e analisar qual o próximo passo a ser dado pela referida Comissão.