Veado catingueiro é resgatado pela Patrulha Ambiental

Acionado por munícipes, a guarnição do Grupo de Proteção Ambiental (GPA), da Guarda Civil Municipal (GCM), formada pelos agentes Carlos e Ribeiro compareceu na Estrada Municipal Carmem da Silva, região do Bairro da Mina para resgatar um animal silvestre.

Pelo local os patrulheiros encontraram um veado catingueiro com um ferimento na região da cabeça, possivelmente causado por um acidente (atropelamento). O animal foi capturado e encaminhado ao Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas), da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp de Botucatu, ficando aos cuidados da equipe do professor doutor Carlos Teixeira.

Nesse Centro são trazidos aves e animais resultados de apreensões feitas pela Polícia Ambiental, Patrulha Ambiental ou mesmo aqueles que são vítimas de atropelamentos em estradas ou ainda vindos de pessoas que criam os animais e depois resolvem abandoná-los.

{n}Perfil do animal{/n}

Podendo viver até os 20 anos, o veado catingueiro tem seu habitat natural em matas densas que margeiam os rios, mas em razão do desmatamento constante pode ser encontrado em campos abertos e matas próximas ? s regiões urbanas e acabam entrando em contato com o ser humano. Seus maiores predadores naturais são os felinos.

Com pelagem predominante de marrom-acinzentada e branca, o animal tem uma dieta ampla que inclui broto de gramíneas, leguminosas, frutas e flores. Tem hábitos noturnos e diurnos; costuma sair pela manhã, sozinho ou aos pares, para se alimentar.

Reproduz-se em todos os meses do ano e o macho pressente a fêmea a grande distância. Eles ficam juntos por uma ou duas semanas e após uma gestação de, aproximadamente, 206 dias, a fêmea tem um único filhote que pesa cerca de 500 gramas. A pelagem do filhote é marrom, salpicada de pintas brancas distribuídas pelos flancos. O comprimento do adulto varia entre 902 cm e 1,25 cm. O peso pode variar entre 11 a 25 kg, ficando geralmente próximo dos 17 kg.