Vagões com toneladas de óleo diesel descarrilam na região

Fotos: Valéria Cuter

No final da manhã desta segunda-feira (27) um acidente ferroviário foi registrado pelo Corpo de Bombeiros de Botucatu, no Bairro Igualdade, zona rural de São Manuel, envolvendo um trem de carga da empresa América Latina Logística (ALL), transportando mais de 1,6 milhões de litros de óleo diesel.

O trem tinha três máquinas que estavam “puxando” 28 vagões tanques conhecidos popularmente como “charutões” e vinha de Curitiba, tendo como destino final o Estado do Mato Grosso do Sul. Cada vagão tanque comporta 60 mil litros do combustível.

Por motivos que ainda não foram esclarecidos, ao passar por uma curva de nível, cinco vagões tombaram e um descarrilou, estourando vários dormentes e a linha férrea. No local estiveram os policiais do Corpo de Bombeiros, Ferrari, Eduardo e Esqueda, que efetuaram uma fiscalização no local para detectar possível vazamento de óleo diesel.

“Felizmente, os vagões se mantiveram intactos (sem vazamento). Caso o combustível estivesse vazado causaria uma problema ambiental considerável. Fizemos o levantamento e a equipe da ALL assumiu a responsabilidade e está tomando as providências para retirar os vagões tombados”, comentou Ferrari.

Para o ferroviário aposentado e sindicalista Hélio Maschetti, acidentes como este acontecem por falta de manutenção da malha ferroviária. “Não foi o primeiro (acidente), nem vai ser o último, pois a manutenção da malha não é feita de maneira adequada. Muitos dormentes de madeira que sustentam os trilhos estão podres e não suportam o peso das locomotivas”, acusa Maschetti. “Qualquer hora vai acabar acontecendo um acidente fatal com pessoas, pois muita gente passa ao lado dos trilhos, principalmente, nas proximidades das cidades que são cortadas pela malha ferroviária”, acrescentou o ferroviário.

A ALL é uma empresa de logística da América do Sul e Companhia Ferroviária do Brasil. Foi fundada 1997 e assumiu os serviços ferroviários no Brasil após o processo de privatização do setor. Desde 2006 e é detentora do uso do direito da malha ferroviária da antiga Ferrovia Paulista Sociedade Anônima (Fepasa), abrangendo toda a região do Centro Oeste Paulista. A direção da empresa não quis se manifestar sobre o ocorrido e vai aguardar resultado da perícia que será feita no local para que as causas do acidente sejam identificadas.