TOR apreende medicamentos de venda proibida

Durante fiscalização na SP 280- Rodovia Castello Branco, na altura do km 198, no município de Pardinho, a equipe do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) abordou um ônibus de linha regular que seguia de Londrina/PR a São Paulo/SP, sendo que ao entrevistar os passageiros a equipe notou que o que estava acomodado na poltrona nº 19 aparentava certo nervosismo. No momento em que foi questionado quanto as características de sua viagem, informou que vinha de Foz do Iguaçu/PR e que tinha “pedido” mercadorias junto a Receita Federal e só teria roupas na sua bagagem.

Os policiais rodoviários desconfiaram dessas alegações, já que o passageiro embarcou num ônibus em Foz do Iguaçu e seguiu até Cascavel/PR, só depois tomou o ônibus ao qual foi abordado, como se tivesse fazendo um trajeto para desviar de fiscalizações.

Ao observar sua passagem, foi verificado que sua poltrona era a de nº 34 e não a que o estava sentado (19) e ao vistoriar sua bagagem no bagageiro, os policiais do TOR localizaram numa mochila grande quantidade de medicamentos anabolizantes, medicamentos utilizados para queima de gordura localizada e comprimidos para impotência sexual que estavam ocultos em roupas e plásticos pretos envoltos em fita adesiva transparente.

Ao ser indagado, Mateus Fernandes Costa Júnior, de 36 anos, confessou que os anabolizantes, medicamentos para queima de gordura localizada e os comprimidos para disfunção erétil eram de sua propriedade e que seriam vendidos na cidade de litorânea de Guarapari/ES, em uma academia que fica próxima a sua residência, sendo que acreditava lucrar cerca de 70 % em cima do valor pago no Paraguai.

Alegou que sempre que traz os anabolizantes tem que trazer também o “Pramil”, pois devido a um dos efeitos colaterais (disfunção erétil), quem comercializa anabolizantes tem que ter também os medicamentos para impotência sexual. “É vendido meio que como um kit”, afirmou.

A Equipe do TOR deu voz de prisão em flagrante a Mateus Júnior e o encaminhou até a Delegacia da Polícia Federal de Bauru, onde a autoridade de polícia judiciária retificou a prisão, apreendendo os medicamentos e os encaminhando para perícia.

Foram apreendidos um total de 1.000 comprimidos para impotência sexual, 98 frascos/ampolas de anabolizantes diversos, outros 1.400 comprimidos de anabolizantes e 20 frascos/ampolas de uma substância para ser injetada diretamente em gordura localizada a base de fosfatidilcolina (substância restrita ao uso medicinal e não estético), sendo que os efeitos colaterais mais frequentes são: dores nos locais, icterícia, manchas, sangramento de mucosas, úlceras, prostração, entre outras coisas.