TOR apreende mais de R$ 100 mil de origem criminosa

Na noite de sábado os policiais militares rodoviários do Tático Ostensivo Rodoviário – (TOR), durante fiscalização na SP-280 Rodovia Presidente Castello Branco, na altura do km 208, município de Itatinga, abordaram um caminhão com placas de Votorantim/SP e após conversa com o condutor, desconfiaram das características da sua viagem.

Ele alegou que acabara de descarregar uma carga de farinha de mandioca branca em Sorocaba e estava retornando para o Paraná, mas os policiais observaram aproximados 60 sacos da mercadoria no interior do reboque do caminhão e questionaram o motivo daqueles sacos não terem sido entregues.

O abordado informou que os sacos “não teriam passado no teste de qualidade” no local da entrega. Versão não convenceu os policiais que passaram a fazer uma busca minuciosa no reboque e na cabine do veículo e localizaram um fundo falso na lataria da cabine, grande quantidade de dinheiro envolto em sacola plástica e fita adesiva transparente.

Foram apreendidos R$ 101.381,00 em espécie e R$ 3.104,00 divididos em três folhas de cheques, totalizando R$ 104.485,00, além de telefones celulares e os veículos (caminhão e semirreboque). Questionado novamente, o homem acabou confessando que aquele dinheiro era o pagamento de uma carga de cigarros contrabandeados do Paraguai que ele teria entregado na região de Sorocaba.

Os policiais do TOR deram voz de prisão em flagrante a Alex Amaro de Bastos, de 28 anos por lavagem de dinheiro e encaminharam-no à Delegacia de Polícia Civil de Itatinga, onde foi elaborado o flagrante e o preso foi posteriormente encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira Cesar.

O crime está descrito na Lei Nº 9.613, de 3 de março de 1998, que dispõe sobre os crimes de "lavagem" ou ocultação de bens, direitos e valores, entre outras condutas criminosas e a pena é de reclusão de 03 a 10 anos, além de multa.