Tatuagem feita em adolescente vira caso de lesão corporal

Acionados através da Central de Comunicação, os agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) Paula e Prado compareceram ? Rua Amando de Barros, em frente a Praça Coronel Moura – Paratodos, em um estúdio, onde um cidadão havia sido agredido por ter feito tatuagem em uma adolescente.

O tatuador alegou que duas pessoas (um deles negro forte e alto e outro branco magro e baixo) o procuraram no estúdio e um deles perguntou quem havia feito uma tatuagem em sua filha e começou a agredi-lo com socos e chutes e logo depois o indivíduo negro desferiu um golpe com uma arma de fogo cromada que portava atingindo o seu nariz. Outro dado passado pela vítima é que ela desconhecia que a adolescente era menor de idade, por isso realizou a tatuagem.

Os indivíduos foram embora em um veículo (não descrito no relatório) e uma testemunha informou conhecer de vista o indivíduo negro. A vítima foi encaminhada até o 1º Distrito Policial (DP) onde foi elaborado o Boletim de Ocorrência (BO) pelo delegado Marcelo Lanhoso de Lima, para apuração dos fatos.

{n}Kombi na contramão{/n}

Ainda na Amando de Barros, em frente a Praça do Paratodos a guarnição deparou-se com um veículo tipo Kombi da cor branca na contramão de direção e após verificação constatou-se que a condutora não era habilitada para conduzi-lo.

Foi esclarecido também que a condutora veio com o veículo da cidade de Areiópolis até Botucatu com o consentimento de seu patrão, que havia entregado a chave para a mesma. Acionado o caminhão guincho que encaminhou o veículo ao Pátio da Botucatu Parking e sua condutora apresentada a 1º DP, onde foi ouvida e liberada.