Senhora perde R$ 5 mil em golpe do bilhete premiado

Mais uma vez uma pessoa foi lesada por estelionatários que aplicaram o golpe do bilhete premiado na Cidade. Desta feita a vítima foi uma senhora (que pediu para que seu nome não fosse divulgado), abordada na Rua Amando de Barros, principal corredor comercial de Botucatu, na região central.

Durante patrulhamento pelo local citado, a viatura da Guarda Civil Municipal (GCM) foi solicitada por uma cidadã, dizendo que havia sido roubada. Porém, quando relatou o fato ocorrido, a guarnição percebeu que tratava-se do famoso golpe do “bilhete premiado”.

Esta senhora foi levada a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), onde relatou que foi abordada por uma mulher na Rua Amando de Barros, bem vestida de, aproximadamente, 40 anos. A princípio passaram a conversar sobre roupas, quando um homem se aproximou perguntando ? vítima e a mulher sobre um endereço e a estelionatária disse que não existia.

Na sequência, o homem revelou que estava com um “bilhete premiado” da loteria, porém tinha receio de retirar o dinheiro, pois não sabia ler. A mulher convidou a vítima para acompanhar o homem até o banco para resolver a questão, esta concordou e seguiram juntos de carro.

Durante o trajeto convenceram a vítima a entrar no banco onde era correntista para sacar R$ 5 mil, a título de confiança. O homem garantiu que retiraria R$ 15 mil e assim que recebesse o prêmio, repassaria o valor a elas. A vítima e a mulher entraram em um banco e o homem permaneceu no carro, com o dinheiro sacado pela vítima.

Enquanto a vítima e a mulher seguiam para o banco, a desconhecida recebeu uma ligação, e assim que desligou disse para vítima ir chamar o homem no carro, vez que ele precisaria assinar documentos no banco. Assim, a vítima o fez, porém quando chegou onde estava estacionado o carro, surpreendeu-se, pois o carro e o homem não se encontravam mais no local, voltou atrás da mulher no banco, porém não achou mais ninguém. Só então ela percebeu que havia caído em um golpe e procurou a GCM para que o Boletim de Ocorrência (BO) fosse elaborado. O caso está sendo investigado.