Seccional realiza Correição em delegacias especializadas

O delegado seccional de polícia de Botucatu, Antônio Soares da Costa Neto, realizou nesta quarta-feira a Correição Ordinária nas delegacias especializadas de Botucatu. Pela manhã Soares Neto esteve na Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) e no período da tarde visitou a Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

O trabalho de Correição é executado uma vez por semestre (duas vezes ao ano) em todas as 25 delegacias das 13 cidades da região que fazem parte da área de comando da Seccional de Botucatu. Também é aberto espaço para a população possa se manifestar sobre o trabalho da polícia e acompanhar a Correição, tendo liberdade de sugerir mudanças, fazer críticas ou apontar soluções para os problemas.

Segundo o delegado seccional, seu objetivo durante a Correição é o de observar e analisar todos os procedimentos em tramitação nas delegacias e fiscalizar como estão sendo elaborados os livros obrigatórios (controle interno), estrutura física do prédio de cada delegacia, higiene, as principais irregularidades eventuais e se a produtividade está dentro do critério estabelecido.

“Nós já temos acompanhado o trabalho desempenhado pelas delegacias que estão sob nosso comando e posso dizer que tudo caminha bem. A criminalidade em nossa região está sob controle e tivemos até uma diminuição em seu índice . No geral nenhuma irregularidade foi encontrada, apenas fizemos algumas orientações. Estou satisfeito com o trabalho que vem sendo feito”, destacou Soares Neto.

Esse procedimento de Correição é uma determinação da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e é realizado por todos os delegados seccionais do Estado. Depois de vistoriar cada uma das delegacias que está sob seu comando, o seccional preenche um relatório apontando os problemas mais graves, que é encaminhado ? s Delegacias do Interior. No caso de Botucatu, a Deinter-7, de Sorocaba. São nessas regionais que os problemas são revistos e solucionados dentro das possibilidades de cada instituição.

De acordo com delegado seccional de Botucatu, os problemas característicos encontrados todos os anos é a defasagem no quadro profissional de cada unidade. “São poucos funcionários para fazerem o trabalho administrativo e operacional, mas mesmo com essa defasagem o trabalho vem sendo desenvolvido de maneira bastante satisfatória”, elogiou.

Foto: Valério A. Moretto