Seccional incentiva denúncia pelo telefone 197

O delegado seccional de polícia, Antônio Soares da Costa Neto, está deflagrando uma campanha visando dar incentivo ? população para um trabalho sincronizado com a polícia no que diz respeito a todo e qualquer tipo de crime. O delegado em entrevista ao {n} Acontece{/n}, ressalta que muitas vezes um crime está sendo cometido e a pessoa teme em fazer a comunicação.

{bimg:7018:alt=interna1:bimg}

“O que nós estamos propondo é que a população tenha uma ligação mais estreita com a polícia e não deixe de formular denúncias através do telefone 197. A ligação é gratuita e pode ser feita num “orelhão”, de qualquer ponto da cidade. Além disso, a pessoa não precisa se identificar e terá sua identidade mantida no mais completo sigilo”, garante o delegado seccional.

{bimg:7019:alt=interna2:bimg}

Ele revela que grande parte dos crimes esclarecidos pela Polícia Civil são em razão das denúncias que são feitas. “A população tem ajudado a polícia, mas nosso propósito é estreitar ainda mais essa relação. Por isso estamos lançando essa campanha”, salientou o delegado que tem sob seu comando 13 cidades da região, com 25 unidades policiais.

Outra iniciativa do delegado seccional de polícia será encaminhar uma sugestão aos vereadores da Câmara Municipal para que seja criada uma lei municipal com a finalidade de impedir pessoas de usarem telefones celulares em agências bancárias da cidade.

{bimg:7020:alt=interna3:bimg}

“Uma pessoa falando ao celular dentro de uma agência bancária pode estar passando dados de pessoas que estão retirando dinheiro nos caixas. Através do celular um marginal pode passar informações para quem está do lado de fora e render a vítima para cometer o roubo. Tivemos um caso recente quando um marginal ficou vários minutos ao lado de uma empresária e quando ela saiu acabou sendo rendida e roubada. Felizmente, a polícia conseguiu recuperar tudo que a mulher perdeu, mas nem sempre é assim. Por isso, impedir a pessoa de falar ao celular nos bancos é uma maneira de prevenir o roubo”, coloca o seccional.

Outra preocupação do delegado seccional de polícia é com relação ? superlotação das cadeias da região, principalmente em São Manuel, onde o número de detentos é muitas vezes maior do que sua capacidade. Atualmente a Cadeia de São Manuel conta com 175 presos. A de Botucatu tem 134.

{bimg:7021:alt=interna4:bimg}

“Nós só poderemos controlar essa superlotação com a instalação de um Centro de Detenção Provisória (CDP) para atender a demanda da região. Os Centros construídos em outras regiões do Estado são padronizados e podem abrigar até 700 detentos. Embora o CDP seja rechaçado pelas prefeituras ele é necessário. Somente com ele poderemos desafogar a superlotação de detentos. Defendo a instalação de um CDP na região de Botucatu, mas este é um assunto para ser discutido e decidido pelas nossas autoridades constituídas”, finalizou o seccional.

Por: Quico Cuter
Fotos: Valéria Cuter