Rio transborda e deixa motorista em pânico na Rodoviária

No início da madrugada desta terça-feira (1 hora), a forte chuva que caiu sobre a cidade fez o motorista Átila Ramon Martins da Silva, viver momentos de pânico ao ver o seu veículo Fiat Pálio (placas JSU-0326) ser arrastado pela enxurrada, na Avenida Vila Brasil, em frente ao Terminal Rodoviário e ao Ginásio de Esportes da Associação Atlética Ferroviária. Esse é um local conflitante em dias de chuva em virtude do transbordamento do Rio Água Fria, que corta aquela região da cidade.

O motorista trafegava pela avenida, viu a enxurrada cobrindo a rua, mas deduziu que daria para passar. Porém, o nível da água estava acima do que ele previa e o carro passou a ser arrastado pela correnteza. O volume de água e lama era tão intenso que invadiu o carro. Com muito esforço o condutor conseguiu sair e ficou, resignado, observando o veículo sendo arrastado e inundado. Testemunhas observaram o drama do motorista e acionaram a Polícia Militar (PM) que esteve no local com os soldados Bento e Fabiana.

Depois do susto e com o carro em segurança, Átila Silva revelou que foi o maior susto de sua vida. “Não tem o que fazer, porque a força da água supera a força do motor do carro. Virei passageiro sem poder fazer nada. Felizmente consegui escapar ileso”, disse o motorista ao {n}jornal Acontece {/n}que acompanhou seu drama.

Lembra que quando viu enxurrada não imaginou que era tão forte. “Achei que dava pra passar, mas no meio do caminho onde a enxurrada era mais forte, o carro não obedeceu, virou de lado e foi arrastado comigo dentro. A partir daí a água começou a invadir o carro. Não tive escolha e tive que sair”, observou.

Sentiu-se aliviado quando percebeu que o carro parou no meio fio. “O carro estava em situação de risco e desgovernado, podendo acarretar um acidente. “Só fiquei mais tranquilo quando ele parou”, disse Átila, enfocando que teve ajuda dos policiais militares. “Os dois policiais foram muito prestativos”. E completou: “Não quero passar por essa experiência de novo, nem desejo isso pra ninguém”.

Fotos: Valéria Cuter