Réu que esfaqueou desafeto vai a júri popular

As advogadas Silvana Pradela Carli (foto) e Juliana Alves Miras Barros, estarão nesta quinta-feira (11) atuando em plenário do júri, para defender o réu Florisval Luiz Gonçalves, de 46 anos, acusado de uma tentativa de homicídio cometida contra Gilberto de Oliveira Vicente, de 37 anos. O caso foi atendido pelos policiais militares Paiva e Carvalho na noite do dia 26 de maio de 2011, por volta das 23 horas, na Rua Flávio Rafanelli, altura do número 242, região do Jardim Monte Mor.

O julgamento acontece no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Subsecção de Botucatu e tem início previsto para ? s 9 horas. Na presidência dos trabalhos estará atuando o juiz Marcus Vinícius Bachiega, tendo ao seu lado na Mesa o representante do Ministério Público, o promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino. Sete pessoas da sociedade botucatuense (entre homens e mulheres) comporão o Conselho de Sentença.

Consta na denúncia que os dois envolvidos estavam bebendo em um bar quando surgiu um desentendimento entre ambos e Florisval saiu do local, mas teria sido seguido por Vicente. A filha de Gonçalves que estava nas proximidades teria alertado o pai de que Vicente estava atrás dele e ambos entraram em luta corporal. Ele, então, tirou um canivete do bolso e desferiu um golpe contra o tórax do desafeto.

A vítima foi encaminhada ao Pronto Socorro (PS) da Unesp, sendo medicado permanecendo internado por alguns dias até ser liberado. Já Gonçalves acabou sendo preso pela PM e não reagiu, sendo encaminhado ao Plantão Permanente, indiciado em crime de homicídio tentado e, posteriormente, recolhido ? Cadeia Pública local.