Réu é absolvido de homicídio tentado contra PM

Sob a presidência do juiz Marcus Vinicius Bachiega, o Tribunal de Júri da Comarca de Botucatu se reuniu nesta quinta-feira para julgar o réu Adriano Pereira, que foi denunciado pela Promotoria Pública como autor de um crime de homicídio tentado contra a policial militar Maria Angélica Galve de Moraes, ocorrido na madrugada do dia 1º de janeiro de 2008, na Rua Professor Antônio de Moura Barbosa, região do Jardim Flamboyant.

Na ocasião dos fatos Adriano Pereira, que estava acompanhado de sua namorada de nome Renata, teve seu Fiat Uno interceptado numa blitz policial que estava sendo realizada para averiguação de um furto. Depois da revista o casal foi liberado, mas ao chegar em casa começaram a discutir e ele ameaçou a mulher, que ao correr se feriu ao tentar pular uma grade de ferro.

A mulher foi colocada na viatura para ser levada ? casa dos pais, mas Adriano a seguiu. Ao chegar na casa houve nova discussão e o rapaz jogou o carro contra a policial que conseguiu se esquivar e evitar ser atropelada, porém a viatura foi atingida sofrendo danos materiais de grande monta. Na época o réu ficou preso dois meses.

Depois dos debates realizados entre o representante do Ministério Público, promotor Marcos José de Freitas Corvino e o advogado defensor Roberto Fernando Bicudo, o Conselho de Sentença formado por sete pessoas da sociedade botucatuense, entenderam que o rapaz não teve a intenção de matar a PM e o absolveram.