Réu é absolvido de crime de homicídio tentado

Fotos: David Devidé

Sob a presidência do juiz Marcus Vinicius Bachiega, o Tribunal de Júri da Comarca de Botucatu esteve reunido nesta quinta-feira (8) para a realização do julgamento de Daniel Augusto “Borracheiro” Camargo, que nos autos do processo consta como autor de um homicídio tentado cometido contra Fernando Galdino de Araújo, ocorrido no dia 12 de setembro de 2009, por volta das 4h50, na Avenida Conde de Serra Negra, Distrito de Vitoriana.

No dia dos fatos, autor e vítima estavam em um show de pagode em São Manuel, juntamente com um grupo de amigos e começaram a discutir e fazer ameaças recíprocas. Ao retornarem para Vitoriana a discussão recomeçou e após troca de ofensas, Daniel sacou de um revólver e disparou três tiros contra Fernando atingindo sua cabeça e fugiu levando consigo a arma do crime. A vítima, ferida gravemente foi conduzida ao Pronto Socorro (PS) do Hospital das Clínicas (HC) de Botucatu, onde passou por uma intervenção cirúrgica e sobreviveu.

Na defesa do réu esteve atuando a advogada criminalista Adriana Bogatti Guimarães Rizzo, que fez sua tese de defesa descaracterizando o crime de homicídio tentado para lesão corporal dolosa e conseguiu convencer o Conselho de Sentença, formado por cinco homens e duas mulheres, a absolver o réu do crime maior. Representando o Ministério Público esteve o promotor de Justiça Marcos José de Freitas Corvino.

O detalhe desse julgamento é que quando o promotor de Justiça fazia sua explanação o réu passou mal e teve que ser encaminhado ao Pronto Socorro para ser medicado. Quando retornou a advogada defensora solicitou o cancelamento do processo, mas o juiz presidente, com base no relatório médico, indeferiu o pedido e o julgamento teve sequência e nenhuma outra anormalidade foi registrada.