Repúblicas continuam perturbando moradores do Paraíso

Um caso de perturbação de sossego foi atendido pela Guarda Civil Municipal na madrugada desta quinta-feira, em uma casa na Rua Nelo Pedretti, região do Jardim Paraíso, onde funciona uma República de Estudantes. Consta que os vizinhos dessa república acionaram os guardas em razão do barulho causado pelos estudantes que estavam realizando uma festa.

De acordo com os moradores, a festa teve início por volta das 21h30 da noite e ? s 3h40 da madrugada o barulho ainda continuava. Por isso a guarda foi acionada e conseguiu fazer com que a festa se encerrasse. O reclamante foi orientado a comparecer no 2º Distrito Policial (DP) e relatar o caso ao delegado titular, Marcos Mores.

O Jardim Paraíso é o local onde se concentram o maior número de repúblicas da cidade. Segundo o delegado que é responsável pelo 2º DP, pelos menos 80% das repúblicas de estudantes da cidade, estão instaladas naquela região alta da cidade.

“Em razão do número acentuado de repúblicas, os problemas de perturbação de sossego acabam acontecendo. Realizamos um amplo trabalho na região do 2º DP cadastrando todas as repúblicas que estão funcionando no Jardim Paraíso e conseguimos atenuar o problema de perturbação do sossego, mas alguns casos isolados ainda acontecem”, disse o delegado.

Ele orienta os moradores para que se tiverem problemas com repúblicas, devem formar um grupo e prestar queixa. “É interessante que os vizinhos se mobilizem e façam a reclamação em grupo”, vislumbrou Marcos Mores, fazendo uma ressalva. “A perturbação de sossego não é caracterizada só ? noite, pois a lei não prevê hora. Se durante o dia os vizinhos se sentirem incomodados com o barulho dos estudantes, devem ter o mesmo procedimento, ou seja, formar um grupo e fazer a denúncia para que a gente possa agir”.

Outro detalhe apontado pelo delegado é com relação ? comunicação dos abusos ? direção da Unesp. “Quando chamamos os estudantes aqui na delegacia alertamos que a continuar o problema a Unesp será acionada para tomar as providências, mas isso não assusta os estudantes. O que deixa eles apavorados é a possibilidade de acionar os pais para comparecer na delegacia. A probabilidade de ver familiares na delegacia mexe com os estudantes, pois a maioria é sustentada pelos pais que residem em outras cidades”, comentou o delegado.

“Por isso nossa orientação é que os munícipes que residem nas proximidades de uma República de Estudantes e que se sentirem prejudicados com barulho, consumo de bebidas, entre outras coisas, a qualquer hora do dia ou da noite, não devem ter medo de denunciar. Sugerimos que essa denúncia seja feita por um grupo de moradores e não por um só”, finalizou Mores, que no ano passado realizou um trabalho e conseguiu acabar com dezenas de gangs de pichadores que agiam em diferentes pontos da cidade.

Foto: arquivo Acontece