Reconhecidas roupas e anel de mulher morta em viaduto

 

Embora o nome tenha sido mantido em sigilo já que ainda depende resultado do exame DNA, possíveis parentes da mulher encontrada em um matagal embaixo do viaduto no Jardim Aeroporto em adiantado estado de decomposição, reconheceram as roupas e um anel de uma mulher que pertencia a um membro da família.

O cadáver foi encontrado na última sexta-feira (23) por populares que passavam pela rodovia Gastão Dal Farra, no Viaduto do Jardim Aeroporto, entroncamento com a SP-300 Rodovia Marechal Rondon, próximo ao Departamento de Estrada de Rodagem e sentiram um forte mau cheiro vindo de um matagal e a polícia foi acionada.

Em razão do estado do corpo a mulher foi sepultada como desconhecida e morte a esclarecer, mas tecidos do corpo foram coletados para um futuro exame de DNA, o que acabou acontecendo. O delegado Geraldo Franco Pires, que está no comando das investigações, esteve com a família e revelou que por enquanto não dá pára afirmar  com segurança se é a mesma pessoa.

“Os indícios são bastante fortes já que as roupas que ela estava usando e o anel foram reconhecidos,  mas isso é insuficiente para termos 100% de certeza. Por isso pedimos o exame que deverá estar concluído nos próximos dias”, disse Franco Pires. “Podemos dizer que a necropsia revelou que  o corpo não trazia marcas de violência que poderia caracterizar um assassinato”, acrescentou o delegado.