Rapaz que desferiu dois tiros em desafeto é preso pela Polícia Civil

Os policias civis Jefferson, Vitor e Cledison, da equipe de investigadores do 2º Distrito Policial (DP), que tem no comando o delegado Marcos Mores, efetuaram na manhã desta quarta-feira a prisão de um cidadão de nome Charles William de Lima Oliveira, de 19 anos de idade. Esse cidadão, na noite do dia 18 deste mês, por volta das 22 horas, desferiu dois tiros que atingiram Antônio da Silva, de 48 anos.

O crime aconteceu na Rua Abigail Sampaio Faconti, altura do número 370, na região do Jardim Monte Mor, após um desentendimento entre vizinhos (briga entre a esposa do acusado e filha da vítima). Em razão disso, os dois homens acabaram se envolvendo no entrevero. Charles passou a discutir com Antônio da Silva e disparou dois tiros contra ele. Os disparos atingiram o pulso esquerdo e o abdome da vítima que foi conduzido até o Pronto Socorro (PS), da Unesp, onde foi medicado.

O acusado esteve na delegacia acompanhado do seu advogado, Danilo Carreira. Embora tenha escapado do flagrante da tentativa de homicídio, ele acabou recebendo voz de prisão ao apresentar arma do crime: um revólver calibre 38, municiado com seis balas. Como não apresentou documento de porte da arma, recebeu voz de prisão.

No seu depoimento Charles Oliveira alegou que havia ido até um bar comprar uma chupeta e quando retornava para casa encontrou as mulheres brigando e Antônio, do outro lado da rua, observando. Ele foi separar as duas mulheres (sua esposa estaria com uma criança no colo) e teria sido interpelado por Antônio. Ele entrou na sua casa, apanhou o revólver (segundo ele, apenas para assustar seu desafeto), mas acabou disparando os dois tiros. Posteriormente, os projéteis deflagrados foram substituídos.

{bimg:10776:alt=interna2:bimg}

“Embora ele tenha escapado do flagrante, não soube dizer a origem da arma. Em conseqüência disso demos voz de prisão, como determina a lei”, colocou o delegado Marcos Mores, que fez o encaminhamento do indiciado ? Cadeia Pública de Botucatu.

{bimg:10775:alt=interna1:bimg}

Para o advogado Danilo Carreira, que defende os interesses de Charles Oliveira, o que aconteceu foi um acidente. “Não houve intenção de matar. Ele (Charles) não tem passagens policiais, nunca se envolveu em confusão, tem carteira de trabalho assinada, residência fixa e, estando em liberdade, não vai atrapalhar o trabalho da Justiça nas investigações. Por isso acredito que sua prisão será revogada nas próximas horas”, previu Carreira.

Fotos: David Devidé