Rapaz gera caos na principal rua do Rio Bonito

“A história é muito confusa e existem três versões diferentes e o caso está sendo investigado pela Polícia Civil para apurar o que, realmente, aconteceu”. Foi o comentário do tenente Noronha da Polícia Militar (PM) sobre um final de tarde de domingo traumático para moradores, turistas e rancheiros do Rio Bonito Campo e Náutica.

Apurou-se que na Estrada Municipal Gentil Lourenção, um rapaz em um Ford Fiesta, por vários minutos gerou um verdadeiro caos ao trafegar pela via em alta velocidade chegando a dar vários “cavalos-de-pau”. Como o caso está sendo apurado o nome das pessoas envolvidas, será preservado.

Segundo testemunhas que conviveram com a situação, esse cidadão usou a principal rua daquele bairro do Município, no final da tarde quando muitas pessoas estavam retornando para Botucatu. Em alta velocidade, conduzia o carro a uma estrada de terra e retornava para a o asfalto acelerando, jogando o carro em cima das pessoas na rua, tendo como passageira uma mulher (sua irmã).

Para deter o rapaz os rancheiros atiraram pedras no carro, tentando fazê-lo parar. Depois de gerar pânico por aquela via pública, ele abandonou o Ford Fiesta e foi trazido para Botucatu em um veículo Blazer.

Duas viaturas da Polícia Militar estiveram no local, coletando dados da ocorrência que foi encaminhada ao Plantão Permanente, onde o delegado confeccionou o Boletim de Ocorrência (BO). O autor não compareceu para prestar depoimento e sim sua irmã que estava com um ferimento no braço feito por um objeto perfuro cortante (possivelmente, faca).

Ela declarou que o ferimento foi causado ao defender o irmão que havia se envolvido em uma briga em frente a um bar no local conhecido como “prainha”. Nessa briga várias pessoas se envolveram e ela não soube apontar quem a feriu com a faca. Garante que seu irmão saiu do local com o carro, mas não deu “cavalo-de-pau”, em via pública.

Entretanto, a história contada pela mulher é contestada por moradores que garantem que o rapaz foi irresponsável e poderia ter matado pessoas inocentes que estavam na rua. “Eu estava retornando com minha família para Botucatu quando ele jogou o carro dele em cima do meu. Ele ia e voltava sempre em alta velocidade, causando um verdadeiro clima de terror entre moradores”, disse um policial reformado, que prestou depoimento como testemunha.

Um rancheiro bastante conhecido naquela região que mora em frente ? rua estava jogando baralho (truco) na varanda de sua casa com amigos e presenciou a atitude do motorista. ”Parecia até um filme de ação, que a gente só vê em filmes. Esta avenida é perigosa, pois os carros trafegam em alta velocidade, mas nunca vi nada igual. Difícil acreditar que ninguém tenha sido atropelado”, contou.

Na manhã desta segunda-feira o relatório do caso foi encaminhado ? 2º Central de Polícia Judiciária para que seja feita a convocação das pessoas envolvidas pela equipe do delegado Marcos Mores.