Quadrilha especializada em assaltos a bancos é presa

Fotos: Luiz Fernando/Divulgação

 

Uma operação muito bem orquestrada pelas forças de segurança de Botucatu que envolve a Polícia Civil, Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM), resultou na prisão de quatro pessoas acusadas de fazer parte de uma quadrilha especializada em assaltos a caixas eletrônicos de bancos. Um desses crimes atribuídos a esta quadrilha foi contra o Supermercado Central, do Jardim Paraíso, no dia 27 de setembro passado.

Dessas pessoas presas na manhã desta terça-feira (11), três são de Botucatu (Jardim Planalto/Continental). São elas: Matheus Augusto Correa Fatori (24), Rafael Alberto Pessoa (23) e Marcos Augusto Pauletti (26). O quarto elemento preso e apontado como o chefe da quadrilha é Leandro Vicente de Carvalho, de 23 anos, que mora em Sorocaba. Outras pessoas apontadas como integrantes da quadrilha estão sendo identificadas.

Desde que o crime aconteceu um trabalho investigativo foi realizado e a polícia chegou aos quatro integrantes com equipes distintas se deslocando até as residências dos acusados de Botucatu munidos de mandados judiciais e efetuaram a prisão por volta das 6 horas. Uma quarta equipe comandada pelo delegado Celso Olindo da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e o comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), tenente coronel Jorge Duarte Miguel, no mesmo horário prendeu Leandro Carvalho, em Sorocaba.  

Segundo apurou a polícia, em Botucatu foi feita a logística do crime, ou seja, onde foram coletados os dados de funcionamento do bando do supermercado, assim como proteção aos integrantes da quadrilha e guarda de armamento. Está sendo investigado se essa mesma logística foi utilizada em outros crimes semelhantes cometidos na região nos últimos meses.

“Acredito que essa ação foi apenas a ponta do iceberg  e outros crimes deverão ser esclarecido.  A operação começou desde o dia em que o supermercado foi invadido até chegarmos nesses quatro criminosos, mas outras pessoas envolvidas deverão ser identificadas e presas nos próximos dias. O trabalho não terminou e será dado continuidade a ele”, comentou o delegado seccional de polícia, Antonio Soares da Costa Neto.

Para o capitão Alexander Cagliari, comandante da 1ª Companhia da PM, mais uma vez a cidade de Botucatu mostrou que união de forças é fundamental para o combate a criminalidade e dar segurança à população. “Foi um trabalho de vários dias até chegarmos à operação que foi desencadeada hoje com a prisão desses elementos. Não temos dúvidas da participação deles no crime em Botucatu”, destacou o oficial da PM.

Sérgio Luiz Bavia, comandante da GCM, também destacou a ação conjunta desenvolvida. “Foi um sincronismo perfeito até na hora da prisão, feita no mesmo horário por equipes diferentes, não permitindo qualquer chance de fuga aos criminosos. Esse tipo de crime vem sendo praticado em cidades da nossa região há vários meses e felizmente parte dessa quadrilha foi presa. Outras operações serão feitas”, adiantou Bavia.

 

 

Relembrando o crime contra o Central

 

Na manhã deste sábado (27 de setembro) um grupo de oito marginais estouraram a porta de vidro de entrada do Supermercado Central, na Avenida Rafael Laurindo, no Jardim Paraíso e usando bananas de dinamite explodiram quatro caixas eletrônicos das agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal (CEF), Santander e Bradesco.

Os marginais encapuzados e fortemente armados renderam três funcionários que faziam limpeza no local e se deslocaram até os caixas (que fica um lado do outro) para consumar o crime. Eles permaneceram no interior do supermercado cerca de cinco minutos e fugiram levando grande quantidade em dinheiro, deixando para trás um rastro de destruição. Na pressa abandonaram o dinheiro que estava em um dos caixas espalhadas pelo chão.

Foi detectado que um veículo de cor preta ficou circulando pelo quarteirão dando cobertura ao assalto, mas a polícia acredita que outros carros foram usados e as imagens do sistema de segurança poderão ajudar a polícia a detectar como foi a ação dos marginais.

“Provavelmente, os marginais estiveram durante o dia no supermercado avaliando a situação para arquitetar a melhor maneira de agir e tudo está sendo averiguado. O que pudemos observar nas gravações é que eles mostraram muito nervosismo quando estavam dentro do supermercado e deixaram pra trás uma grande quantidade de dinheiro”, aponta o capitão Alexander Cagliari, comandante da 1º Companhia de Polícia Militar (PM).

Não está descartada a possibilidade de que esses mesmos elementos sejam os mesmos que nos últimos meses explodiram caixas eletrônicos em várias cidades da região. Já agiram em cidades como: Torre de Pedra, Conchas, Bofete, Areiópolis, Itatinga, Anhembi, Santa Maria da Serra, Porangaba, Pratânia, Pardinho, Aparecida de São Manuel, entre outras.

 

Fotos: Luiz Fernando