Quadrilha de assaltantes que trocou tiros com a PM é presa

Depois de 24 horas do crime ocorrido, a Força Tática da Polícia Militar com o sargento Francisco e soldados Winckler, De Morais e Modesto, efetuou a prisão de quatro elementos de uma quadrilha que na noite do último sábado por volta das 21h30, assaltaram um cidadão de nome Antônio Pires, de 56 anos, na Rua Dom Pedro I, região do Bairro Alto em Botucatu. Os marginais fugiram pela SP-191 Rodovia Geraldo Pereira de Barros, sentido São Manuel e no km 195, onde houve troca de tiros com a PM. Os marginais conseguiram fugir embrenhando-se em um matagal.

Por intermédio de informação passada ao telefone 190 por uma testemunha que visualizou três pessoas caminhando pelo acostamento da rodovia no final da noite deste domingo, a Força Tática se deslocou até o local efetuando a prisão de Marlonn Francisco Bruno (23); Jonnhy Henrique Campos (22); Marcílio Manoel Mariano (23) e Valdenyse Tamara de Santi (24). Desses, todos do estado do Paraná. Com a prisão dos três, um quarto elemento foi citado como componente da quadrilha: Marcílio Manoel Mariano (23), este de Botucatu, que foi preso durante a madrugada em um dos apartamentos do conjunto de prédios do CDHU, na região Vila Jardim.

“A PM estava alerta com relação a essa quadrilha e quando recebemos a informação de que três pessoas estariam nas proximidades onde ocorreu a troca de tiros, nos deslocamos até o local e demos voz de prisão. Junto com eles apreendemos o revólver utilizado no assalto da caminhonete. Estavam com diversas escoriações pelo corpo em razão de terem se embrenhado no matagal onde permaneceram refugiados durante a madrugada e o dia de domingo, decidindo tentar a fuga ? noite. A arma estava com as cápsulas deflagradas”, frisa o sargento Francisco.

O oficial lembra que com a prisão dos três na rodovia, foi possível chegar ao quarto elemento, que é de Botucatu e participou do crime. Um quinto elemento da quadrilha está foragido. Além do revólver foi apreendido um veículo Pálio vermelho abandonado na cidade de Pratania. Esse carro foi usado no roubo da caminhonete.

Os acusados foram assistidos pelos advogados Marco Aurélio Capelli Zanin e Silvana Pradera. O Boletim de Ocorrência (BO) foi confeccionado pela delegada Simone Alves Firmino, que determinou o recolhimento dos três homens ? Cadeia Pública de Botucatu e a mulher para Itatinga.

{n}Relembrando o crime{/n}

Por volta das 21h30 de sábado, um grupo de marginais (possivelmente cinco homens), que estava em um carro vermelho abordaram Antônio Pires, de 56 anos, na Rua Dom Pedro I, no Bairro Alto. Um dos elementos armado de revólver anunciou o assalto e fez com que a vítima deixasse a caminhonete Nissan Frontier, 4×2, com placas de Botucatu. Os marginais tomaram a caminhonete e fugiram.

A vítima informou o roubo e a PM acionou toda a rede policial da região fornecendo as características do carro, que foi localizado na SP-191. Ao perceber a viatura os assaltantes passaram a atirar contra a PM, que revidou. Um dos tiros atingiu o pára-choque dianteiro da viatura 116 (Pálio). Já a caminhonete onde estavam os marginais foi alvejada com cinco tiros.

Sentindo que poderiam sofrer um acidente, os marginais abandonaram o veículo roubado e se embrenharam em um matagal, conseguindo fugir. Um grande cerco policial foi montado durante a madrugada e na manhã de domingo, mas os marginais não foram localizados.

“Foram momentos de muita tensão, com os marginais atirando contra a viatura e os policiais revidando. Felizmente, nenhum dos nossos policiais foi ferido. Os ladrões fugiram por um matagal, mas acredito que serão identificados e presos nas próximas horas”, previu o tenente Cagliari, fato que acabou se confirmando 24 horas depois do crime cometido.

Fotos: Jornal Acontece Botucatu