Protesto visa parar pedágio entre Botucatu e São Manuel

Fotos: Valéria Cuter

Na tarde desta segunda-feira (1) uma reunião realizada na sede da 1ª Companhia de Polícia Militar (PM), de Botucatu, definiu os detalhes da manifestação programada para acontecer na tarde desta quarta-feira (3) contra o pagamento da taxa de pedágio instalado entre as cidades de Botucatu e São Manuel, km 261 da SP-300 Rodovia Marechal Rondon. Estiveram na reunião representante do movimento, Polícia Militar (PM), Guarda Civil Municipal (GCM) e Secretaria de Mobilidade Urbana. Os parquímetros também foram discutidos.

A concentração deve acontecer a partir das 12h30 em frente ao Senai, na Cohab I, e os manifestantes iniciam caminhada ? s 13h30, percorrendo a extensão da Rua Amando de Barros até a Praça Coronel Moura – Paratodos. De lá deverão subir pela Rua Djalma Dutra, até a Avenida Sant´Anna, passando em frente a Prefeitura Municipal. Em seguida os manifestantes chegam ? Avenida Dom Lúcio e descem pela Rua Major Leônidas Cardoso, até a Praça Emílio Peduti – Bosque, em frente a Câmara Municipal.

No início da noite os manifestantes de Botucatu se encontram na praça do pedágio na SP-300 com outro grupo que deverá vir de São Manuel com o mesmo objetivo de fazer o protesto contra as tarifas. O fluxo de veículo deverá ser interrompido por cerca de 60 minutos, de ambos os lados da pista.

Um dos organizadores do protesto, o estudante Denis Caetano, enfatiza que não tem cabimento os botucatuenses e sãomanuelenses pagarem (R$ 8,20) de pedágio entre ida e volta para se deslocar de uma cidade ? outra. “Muita gente de São Manuel tem compromissos a resolver em Botucatu e vice-versa. Não é justo que se pague pedágio de ida e volta todos os dias para trafegar menos de 20 quilômetros. Nossa reivindicação é que os veículos de Botucatu e São Manuel tenham passagem livre”, explica Caetano.

Ele ressalta que a manifestação será pacífica. “Nossa idéia era fazer todo o trajeto pela rodovia caminhando cerca de oito quilômetros de Botucatu até o pedágio, mas isso poderia acarretar muitos transtornos. Decidimos, então, fazer a manifestação caminhando pelas ruas de Cidade e ir de carro até o pedágio. Agora, se nossa reivindicação não for aceita outras manifestações serão realizadas. Nós só queremos lutar pelos nossos direitos de cidadão”, disse Caetano.

O comandante da 1ª Cia da PM, capitão José Semensati Júnior adiantou que irá acompanhar os manifestantes garantindo a segurança necessária, mas coibirá os excessos. “Se a manifestação for pacífica a PM só irá acompanhar sem fazer nenhum tipo de intervenção. Esperamos que tudo transcorra na mais perfeita ordem e que o protesto seja pacífico”, colocou o capitão da PM.