Professor está sendo investigado por ato obsceno

O caso registrado na DDM aconteceu no último dia 14 de outubro e estava sendo mantido em sigilo para proteger os alunos

 

Resultou em grande repercussão em diferentes meios de comunicação regional a acusação de ato obsceno praticado por um professor da escola estadual Euclides de Carvalho Campos, o Cevila, instalada da Vila Nova Botucatu. Caso está sendo investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), após o Boletim de Ocorrência (BO) ser elaborado pela delegada Rose Mary Ribeiro Dias.

Esse episódio aconteceu no dia 14 de outubro e segundo a Diretora Regional de Ensino,  Rosilene Aparecida Rosa, estava sendo mantido em sigilo para proteger os alunos. Porém, um dos pais resolveu tornar o caso público.

O professor, sendo informações inseridas no BO estaria na sala de aula com três alunos (dois de 14 e um de 15 anos) e numa suposta brincadeira teria tirado seu órgão genital e mostrado aos alunos que procuraram a direção da escola. As imagens do sistema de segurança gravaram o ato. O professor já foi ouvido e disse estar arrependido.

Em razão disso, o acusado, que não teve o nome divulgado, foi afastado de suas funções e passou a responder ao inquérito policial e corre o risco de responder processo na esfera criminal e não mais poder exercer a função de professor pelo estado. Ele não foi encontrado para responder sobre o crime.