Preso tenta fugir da cadeia de Botucatu usando peruca

Um caso, no mínimo, inusitado foi registrado nesta terça-feira (16) pela carceragem da Cadeia Pública de Botucatu com uma audaciosa tentativa de fuga por um dos presos, na saída das visitas. O caso está sendo analisado pelo diretor da cadeia, delegado Geraldo Franco Pires.

Consta que o detento, Edilton de Souza Oliveira, de 36 anos de idade, usando uma peruca morena, se misturou entre as visitas e tentava sair, tranquilamente, pela porta da frente. Entretanto, a ação do detento foi descoberta pelos carcereiros que o reconheceram e a tentativa de fuga, acabou sendo neutralizada.

Edilton Oliveira é oriundo da Cidade de Salto e veio transferido da Cadeia Pública de Itapetininga, em razão da rotatividade que existe entre os presos. Até as 11 horas desta quarta-feira (17) havia na cadeia local 106 presos divididos em dez celas, média de 10 presos por cela, que mede 15 metros quadrados. O caso foi encaminhado ao 4º Distrito Policial (DP) para que seja apurado como a peruca chegou até a área interna do presídio.

A juíza Corregedora Adriana Toyano Fanton Furukawa, no ano passado determinou a interdição parcial da cadeia em razão da superlotação, já que a cadeia chegou a abrigar 240 presos, ou seja, mais de 24 presos por cela. Com a interdição parcial a população carcerária de Botucatu não pode abrigar mais do que 120 presos.

“A rotatividade de presos entre as cadeias do Estado é inevitável e vai continuar acontecendo. Assim como mandamos presos para fora, recebemos presos de outros municípios. Ainda que se obedeça a capacidade máxima é natural essa rotatividade, até para dissipar organizações criminosas”, explicou a magistrada. “Um preso pode ser problemático em um determinado lugar e não ser em outro. Então, esse intercâmbio é inevitável”, concluiu.

Foto: Valéria Cuter