Prefeito discute instalação do CDP com o governador

O prefeito João Cury Neto, viajou para São Paulo nesta quarta-feira para ter uma audiência com o governador Geraldo Alckmin para tratar de vários assuntos que ainda estão pendentes com o Estado, como a Instalação do Ambulatório Médico de Especialidades (AME), Casa de Reabilitação Lucy Montoro e o prédio do Instituto Médico Legal (IML).

Outro importante assunto a ser tratado com o governador é a instalação do Centro de Detenção Provisória (CDO), para atender a demanda de presos da região, onde as cadeias estão superlotadas, ultrapassadas e parcialmente interditadas, sujeitas a constantes tentativas de fugas e rebeliões.

“Não tem sentido a cadeia de Botucatu estar localizada numa região centralizada da Cidade como Bairro Alto, com os moradores se sentido ameaçados. Por isso iremos discutir com o governador como estão os trâmites para que a construção do CDP seja iniciada para abrigar os presos da nossa região. Vamos colocar o governador a par de tudo que está acontecendo”, frisou João Cury.

O governo já construiu vários CDPs pelo Estado e a região de Botucatu teria o seu instalado ? s margens da Rodovia Castelo Branco no Distrito do Lobo, Município de Itatinga, mas até agora não saiu do papel. O CDP do Estado é padrão, ou seja, tem a mesma arquitetura e capacidade para abrigar, aproximadamente, 700 detentos.

Não se pode esquecer que a Cadeia de Botucatu foi construída na década de 60 para alojar até 60 detentos (ou 32 como defendem alguns), ou seja, seis presos por cada uma das dez celas divididas em duas alas separadas pelo pátio onde é feito o banho de sol diário. Entretanto, já chegou ter 250 presos.

Por conta da superlotação a então juíza corregedora Adriana Toyano Fanton Furukawa (que foi transferida para Sorocaba) determinou, no ano passado, a interdição parcial para que a cadeia não tenha população carcerária que exceda aos 120 presos. Porém, em razão da rotatividade de presos que vem de outras regiões a cadeia está mantendo uma média diária de 150 presos.

As cadeias da região que fazem parte da área de comando da Delegacia Seccional de Polícia de Botucatu, que agrega 11 Municípios, também estão saturadas, superlotadas e com suas estruturas desgastadas. Em São Manuel, por exemplo, a situação é tão crítica que um preso pode passar para outras celas em razão dos buracos que existem entre um xadrez e outro.