Prefeito de Botucatu se une a Itatinga pelo CDP

Informações passadas pela Secretaria Municipal de Comunicação, revelam que em audiência com o secretário de Administração Penitenciária, Lourival Gomes e com o chefe da Casa Civil, Sidney Beraldo, os prefeitos de Botucatu, João Cury Neto e de Itatinga, Ailton Faria, receberam a comunicação oficial que o Governo do Estado construirá um Centro de Detenção Provisória (CDP) para resolver o problema da superlotação em cadeias públicas de nossa região.

Após uma série de avaliações, foi escolhida uma ampla área ? s margens da Rodovia Castello Branco (km 228 + 669 metros), no Distrito do Lobo, em Itatinga. O terreno foi doado pela Duratex. Com o relatório de impacto ambiental dando sinal verde para a execução da obra, a expectativa é que em breve a licitação seja aberta e a construção iniciada até o final do ano.

Além de equacionar o grave problema da superlotação em unidades prisionais de cidades da região, a construção do CDP movimentará a economia da região com a geração de dezenas de empregos. Por outro lado, existe a preocupação em dotar o município de Itatinga das condições adequadas para abrigar um empreendimento dessa natureza.

“Foi por isso que viemos conversar com o secretário Sidney Beraldo. Já que o Governo do Estado não abriu mão de construir o CDP no Distrito do Lobo, consideramos fundamental discutir investimentos que possam preparar a cidade para esse novo momento. Há uma série de prioridades que foram apresentadas pelo prefeito Ailton para as áreas de saúde, habitação, infra-estrutura e aquisição de maquinário. Além disso, a criação da Comarca de Itatinga também foi enfatizada. O encontro foi positivo e o Governo do Estado tem todo interesse em levar desenvolvimento para a população itatinguense”, frisou João Cury.

Na avaliação do prefeito de Botucatu, apesar de ser um tema impopular, a construção de uma nova unidade prisional para solucionar o problema crônico da superlotação em cadeias da região, tem sido tratada com maturidade pelas lideranças políticas.

“Essa é uma questão espinhosa, difícil, mas que precisa ser resolvida. Apesar da dificuldade não deixaremos de enfrentá-la. Do mesmo modo quando foi definida a instalação da praça de pedágio em Botucatu. E agora, também nos colocamos contrários ? volta da liberação do tráfego de veículos pesados na região da serra. Tanto na comemoração de conquistas quanto na discussão de questões polêmicas, o importante é que os prefeitos estão unidos em torno dos projetos que afetam diretamente o dia a dia da nossa região”, declara.