Polícia Rodoviária busca estratégias para coibir roubos de cargas

Com a finalidade de aumentar a segurança nas rodovias que fazem parte da área de comando da 3ª Companhia de Polícia Militar Rodoviária, com sede em Tatuí, que também agrega as regiões de Botucatu e Avaré, o comandante da área, capitão Cláudio Rogério Ceoloni, esteve reunido com os proprietários ou representantes dos 20 postos de gasolina que estão instalados nas rodovias que fazem parte da área regional de Botucatu. O encontro aconteceu na manhã desta sexta-feira na Câmara Municipal de Botucatu.

O objetivo do encontro foi de conscientizar os empresários sobre roubos de carga que ocorrem na maioria das vezes (pelos menos 90%) nos pátios dos próprios postos, quando os motoristas estacionam para descansar. Geralmente o crime é cometido por quadrilha composta por um grupo de duas a cinco pessoas, que visa um caminhão aborda o motorista, mantendo-o como refém. Depois o veículo com a respectiva carga (sempre escoltado por um ou dois carros de passeio) é levado e o motorista é deixado em um local ermo.

“Esta reunião nós já fizemos com os proprietários dos postos de serviços instalados nas rodovias da região de Tatuí a agora estamos fazendo na região de Botucatu. Se trabalharmos juntos, poderemos conseguir diminuir este tipo de crime. Pelas estatísticas estamos sentindo que o roubo de carga vem migrando para o interior do Estado e é necessário que tomemos ações preventivas para coibir a ação do crime organizado”, colocou o capitão Ceoloni.

Entre as medidas sugeridas pelo comandante está a melhoria de iluminação dos pátios, instalação de sistema de monitoramento com câmaras de vídeo, colocação de cerca ou alambrado nas cercanias do posto, evitar serviços não autorizados de guinchos e oficinas, não vender bebidas alcoólicas, não permitir máquinas caça-níqueis, entre outros. “O que nós propomos é uma união entre a Polícia Rodoviária e os proprietários de postos, visando o bem comum”, explicou Ceoloni.

{n}Estatísticas{/n}

O comandante do policiamento rodoviário da região de Botucatu, tenente Ricardo Maganha, responsável pela fiscalização em 600 quilômetros de rodovias (englobando a João Melão, Castello Branco e Marechal Rondon), onde estão 20 postos de serviços e quatro bases operacionais, mostrou slides enfocando as estatísticas criminais das rodovias durante este ano. Lembrou que no eixo Botucatu/Avaré/Tatuí (1.200 quilômetros de estradas), foram registrados este ano, 32 roubos, sendo que 11 deles na região que pertence a Botucatu.

“E a maneira de agir dos criminosos é, basicamente, igual e a preferência das quadrilhas especializadas que agem nas estradas é pelas cargas de produtos alimentícios, combustíveis e farmacêuticos. De janeiro a setembro deste ano as rodovias de São Paulo registraram um montante de R$ 50 milhões de prejuízo com roubos de cargas e nossa região faz parte dessa estatística”, cita Maganha.

Ele adianta que embora alguns casos tenham sidos registrados, a situação na região está sob controle, mas alerta que é necessário aplicar medidas preventivas. “O que não podemos fazer é facilitar a ação dos marginais. Por isso, a participação dos proprietários dos postos de serviços é de fundamental importância para evitar o aumento de crimes nas estradas da nossa região. Além do roubo de carga, nosso trabalho também é direcionado para combater outros crimes, como o tráfico de entorpecentes”, complementou o comandante rodoviário de Botucatu.

Fotos: Valéria Cuter