Polícia realiza apreensão de armas de caça na Castelinho

Os soldados Viotto, Fonseca, Andrade e Rojas que fazem parte do 2º Pelotão de Policia Militar Ambiental de Botucatu, atenderam a uma solicitação revelando que pessoas estariam praticando a caça ilegal ? s margens do Rio Pardo, próximo a SP-209 Rodovia João Hipólito Martins – Castelinho.

Quando a equipe chegou ao local, localizou um veículo estacionado próximo ao rio escondido em meio ao canavial. Passado alguns minutos os policiais ouviram um disparo de arma de fogo. De pronto, a equipe se abrigou e permaneceu no aguardo do retorno dos caçadores.

Passada, aproximadamente, uma hora, a equipe se deparou com indivíduos que também avistaram a patrulha e empreenderam fuga, sendo detido um dos indivíduos que assumiu a autoria do disparo e que estaria no local caçando e havia abatido um jacu. Informou, ainda, que estava acompanhado de dois colegas que se embrenharam na mata. Em buscas pelo local, os policiais localizaram 02 espingardas cartucheiras de calibre 32 marca Rossi, ambas municiadas e utilizadas na caça.

Diante confissão, a patrulha deslocou-se ? residência do detido, para buscas e localização de outros materiais ilícitos. Ao chegar ? casa, os indivíduos que acompanhavam o caçador estavam a sua espera, mas negaram o fato. Efetuadas buscas pelo local, sendo localizados 07 cartuchos intactos, marca CBC, de calibre 32 e 04 cartuchos deflagrados; uma coronha de cartucheira; dois canos de cartucheira, sendo um duplo e outro simples, ambos calibre 32 e sem numeração aparente; um couro de veado; uma cabeça de veado; 02 cascos de tatu; 06 rãs; 02 patas de gavião; 01 “pio” de caça e bolsa para transporte de armas.

Diante dos fatos, todos foram conduzidos ao Plantão Permanente juntamente com os petrechos e caças, onde a autoridade policial civil elaborou Boletim de Ocorrência (BO) e o Auto de Apreensão dos materiais, bem como arbitrou fiança para liberação do indivíduo que efetuou o disparo e assumiu a posse da arma. Administrativamente, foi lavrado o auto de infração ambiental, no valor de R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais). O nome dos envolvidos não foi divulgado.