Polícia realiza “Operação Pagamento” na cidade

Uma grande movimentação policial foi vista em Botucatu nesta sexta-feira com a “Operação Pagamento” realizada nas principais entradas e saídas da cidade de Botucatu e em pontos centrais da cidade. A operação contou com homens da Polícia Militar, Civil a Guarda Civil Municipal, além de viaturas e motocicletas que foram espalhadas pela cidade. Não faltou o patrulhamento aéreo feito pelo helicóptero Águia da Policia Militar.

Esta foi mais uma ação policial preventiva das polícias feita no quinto dia útil do mês onde muitas pessoas recebem seus pagamentos e o fluxo bancário é acentuado. Também fez parte da operação coibir a criminalidade com a apreensão de armas, drogas, pessoas procuradas pela Justiça, assim como vistoria na documentação de veículos e condutores.

Outra preocupação da polícia é que na região de Bauru, 3 mil detentos estão em regime de saída temporária do “Dia dos Pais”. Eles sairam dos presídios nesta quinta-feira e só retornam na tarde da próxima segunda-feira.

{bimg:8219:alt=interna1:bimg}

O delegado seccional de polícia, Antônio Soares da Costa Neto, revela que além do combate ao crime, objetivo dessa operação é mostrar o trabalho sincronizado entre as polícias, para dar maior segurança ? população. “É muito importante este tipo de operação conjunta. O policiamento preventivo e investigativo trabalhando juntos para o bem comum”, comentou o seccional.

{bimg:8220:alt=interna2:bimg}

Para o Secretário Municipal de Segurança Pública, delegado Adjair de Campos, esta é uma operação especial, mas a polícia já vem trabalhando juntas em várias operações que são deflagradas na cidade. “No dia a dia a gente procura trabalhar juntos. Este tipo de operação tem a finalidade de mostrar para a população exatamente esta união de forças e o sincronismo entre os profissionais que fazem a Segurança Pública da cidade”, observou o secretário.

{bimg:8221:alt=interna3:bimg}

Nessa mesma linha o comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Botucatu tenente coronel César Francisco Toma, destacou que a presença da polícia nas ruas inibe a ação dos marginais e é importante que este tipo de operação conjunta aconteça. “Realizamos, regularmente, operações surpresas para coibir crimes como o tráfico de entorpecentes e exploração sexual de adolescentes, além de um trabalho direcionado para captura de pessoas procuradas pela Justiça. Nosso relacionamento com a Polícia Civil e a Guarda Civil é estreito e por isso operações conjuntas são realizadas com frequência”, ressaltouToma.

De uma forma geral a população, embora fique constrangida com a revista pessoal, também aprova essas operações feitas na cidade. “É chato quando a gente é parado na rua para uma revista pessoal, mas temos que entender que este é um trabalho que é feito para coibir a criminalidade”, opinou o motorista de caminhão Luiz de Freitas, 44. “Muitas vezes numa revista dessas a polícia acaba encontrando um revólver ou uma faca que poderia ser usada num assalto”, emendou o comerciante Fábio Augusto Onofre, 52.

A operação também fez vistoria em carros, de maneira aleatória. “Quando você é parado na rua e tem seu carro revistado é meio constrangedor sim, afinal não sou nenhum bandido. Mas a polícia não tem bola de cristal para saber quem é bandido ou quem não é”, comentou o taxista Alcides Barrinotto, 39. “O importante é que os policiais se mostram educados e até pedem desculpas pelo transtorno da geral (revista) no carro. Não podemos reclamar, pois esse trabalho faz parte da nosso própria segurança”, complementou o metalúrgico Pedro Baltazar de Mello, 25.

Fotos: Valério A. Moretto / Valéria Cuter