Polícia prende estuprador da Fazenda Lageado

Fotos: Luiz Fernando

 

Depois de um trabalho ininterrupto que teve início no dia 19 de fevereiro deste ano, as forças de segurança de Botucatu formada pela Polícia Militar (PM), Polícia Civil e Guarda Civil Municipal (GCM) realizaram a prisão de Jedielson Castro, acusado de abusar sexualmente de uma estudante de 21 anos na Fazenda Lageado e estava foragido desde o dia do crime.

Desde que o crime foi cometido a polícia passou a seguir as pistas desse marginal baseada em muitas informações de populares. Chegaram até  boatos revelando que ele teria sido assassinado ou que estaria em outro estado. Entretanto, o trabalho investigativo levou os policiais até Igaraçu do Tietê, onde Jedielson estava refugiado na casa de uma tia, que também poderá ser responsabilizada por dar guarida a um foragido da Justiça.

A polícia foi até esta casa dessa mulher e deu voz de prisão ao acusado neutralizando qualquer possibilidade de fuga, sendo o mesmo trazido a Botucatu na manhã desta quarta-feira para prestar depoimento à delegada Simone Alves Firmino, titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) que indiciou Jedielson em crime de estupro e irá presidir o inquérito policial.

“Desde que esse hediondo crime foi cometido as Forças de Segurança da Cidade, formada pela Polícia Civil, através da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM) não pararam de trabalhar e seguiram várias pistas até chegar a esta prisão. Quero parabenizar o trabalho que foi feito para que esse criminoso da pior espécie fosse tirado de circulação e possa pagar pelo crime que praticou”, destacou o delegado seccional de polícia, Antônio Soares da Costa Neto.

 

O crime

No dia dos fatos Jedielson abordou uma estudante de 21 anos e a levou a um lugar ermo da Fazenda Lageado. Ela relatou que estava caminhando como de costume pela rua principal da Fazenda Lageado, quando foi abordada por um individuo desconhecido que de posse de uma faca anunciou o assalto pedindo R$ 600,00 para pagar suas dividas com drogas. Esse local onde a vítima foi abordada é bastante frequentado para prática de corrida e caminhada principalmente pelas manhãs e aos finais de tarde.

Enquanto desenrolava a conversa o marginal foi conduzindo a vitima para o final da via principal onde passaram uma porteira e pegaram uma estrada de terra que termina em um ribeirão onde o autor vendou a vitima e amarrou seus punhos para trás, abaixou seu short e a violentou.

Após o ato teria dito à mulher para sair do local e evadiu-se levando o seu celular. Segundo a vítima, a ação criminosa durou cerca de 40 minutos e as características físicas do criminoso foram apresentadas à delegacia. A vítima também passou por atendimento médico no Hospital das Clínicas (HC).

 

A Confissão

 

Na delegacia, Jedielson que é casado e pai de dois filhos (2 e 6 anos de idade), reconheceu que cometeu o crime. Salientou que naquele dia havia brigado com sua mulher, chegando agredi-la fisicamente e saído de casa indo até a Fazenda Lageado para fazer uso de entorpecentes (crack).

“Na rua (avenida) vi a menina caminhando e cheguei até ela para assaltar, mas depois não sei o que me deu na cabeça de levar ela para o mato e fazer tudo aquilo. Não era para acontecer, estava sob efeito do crack  e de cabeça quente, mas sei que isso não justifica nada, porque fiz”, disse.

Também falou sobre a mulher que violentou.  “Ela (vítima) não merecia isso, eu sei, mas agora está feito e tenho que arcar com as conseqüências. Prejudiquei muito essa menina e sei que ela nunca vai me perdoar. Estou com vergonha de mim, da minha família e de tudo mundo que me conhece por ter feito isso”, reconheceu. “Mereço ser preso”, complementou.